Imóveis sem manutenção são criadouros do aedes aegypti (Foto: Claudinho Coradini/JP)

Levantamento feito pela Prefeitura de Piracicaba aponta que o Centro da cidade possui mil imóveis desocupados que estão à venda ou para alugar. A administração destaca que muitas dessas unidades podem passar meses sem qualquer manutenção, apresentando assim condições favoráveis para a proliferação do mosquito da dengue.

Entre as ações de combate ao Aedes aegypti – mosquito transmissor da dengue, chinkungunya e zika, que se prolifera em água limpa e parada, a Secretaria Municipal de Saúde, por meio do PMCA (Plano Municipal de Controle do Aedes), segue desenvolvendo estratégias de controle em ímoveis desocupados.

De acordo com o coordenador do PMCA, Sebastião Amaral Campos, proprietários de 500 mil imóveis desocupados foram notificados e a expectativa é que o restante das notificações sejam entregues até o final de junho.

“Após a notificação dos proprietários e das imobiliárias, nós agendamos visitas nos imóveis e verificamos in loco se apresentam ou não problemas com criadouros. Após a visita, os proprietários têm um prazo para resolver de acordo com os problemas apresentados. O não cumprimento do acordo acarreta em auto de infração (multa) no valor de R$1.085,40, cujo valor vai duplicando a cada reincidência”, disse acrescentando que neste ano foram aplicadas 57 multas em proprietários de imóveis desocupados.

“Os criadouros mais comuns encontrados são vasos sanitários sem tampa, piscinas sem tratamento, calhas entupidas, caixas d’água mal tampadas ou sem tampa, ralos externos sem manutenção, entre outros. São locais que devem ser vistoriados constantemente”, explicou o coordenador.

“É importante a conscientização dos proprietários desses imóveis. Que eles realizem uma manutenção mais frequente em suas propriedades, evitando o aparecimento de criadouros e eliminando, assim, a possibilidade de penalidades. A atitude é fundamental para a melhoria da qualidade de vida em Piracicaba, uma vez que reduz o risco de casos de dengue”, afirmou.

REDUÇÃO  
De acordo com os números da Secretaria de Saúde do município, Piracicaba registra uma redução nos casos confirmados de dengue em 2020.

Nas primeiras 20 semanas do ano, foram 768 casos confirmados, uma redução de 77%, se comparado ao mesmo período de 2019, quando foram registrados 3.376 casos da doença.
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 × quatro =