Relatório aponta precariedade na estrutura de prédios públicos

Secretário de cultura disse que relatórios têm sido feitos para diagnosticar a situação dos próprios municipais. (Foto: Amanda Vieira/JP)

Relatório elaborado pelo vereador Laércio Trevisan Jr. (PL) aponta precariedade na estrutura de quatros centros culturais de Piracicaba. O documento, produzido após vistoria realizada na semana passada com a presença do secretário da Ação Cultural, Adolpho Queiroz, foi encaminhado ontem ao prefeito Luciano Almeida (DEM). Nele, o parlamentar anexou fotos dos principais problemas encontrados nos prédios públicos. O vereador e o secretário visitaram as dependências da Estação da Paulista e Centro Cultural “Antonio Pacheco Ferraz”, o Centro Cultural Mário Dedini “Isaíra Aparecida Barbosa – Zazá”, o Centro Cultural 1º de Maio “Sebastião da Silva Bueno – Nhô-Serra” e o Centro Cultural Santa Terezinha “Hugo Pedro Carradore”.

“O relatório tem por objetivo ilustrar as demandas e as necessidades constatadas nestes espaços públicos, os quais, infelizmente, encontram-se em péssimo estado de conservação e manutenção”, afirmou o parlamentar.

De acordo com o relatório, nos quatro centros culturais foi constatada a necessidade de manutenção, conservação, como reparos no telhado, pintura interna e externa, infiltrações, danos no forro, salas interditadas, madeiramento com cupim, corte de mato, poda e supressão de árvores, vidros quebrados; caixa d’água com infiltração e problemas na tubulação e registros, construção de rampa de acessibilidade, reparos nos bebedouros e lavatórios, troca de lâmpadas, ventiladores queimados, computadores com defeito.

Outro problema que chama a atenção, segundo Trevisan, é o fato de os computadores não funcionarem nos centros do Mário Dedini, Santa Teresinha e Água Branca. “Imaginemos como foi o controle das pessoas que passaram por cursos nesses locais”, questionou.

Em nota, o secretário da Ação Cultural, Adolpho Queiroz, informou que ‘os centros culturais carecem de melhorias na sua infraestrutura, como limpeza, pintura, reparos e aquisição de equipamentos, como computadores, por exemplo’. “A Prefeitura irá orçar e providenciar esses ajustes para que, pós pandemia, os centros culturais possam voltar a funcionar dignamente”, acrescentou.

Beto Silva
[email protected]

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

cinco − um =