O coração do centro piracicabano é a praça José Bonifácio, que faz parte da história da cidade. Foi demarcada no ano de 1784, no século XVIII, quando o povoado original ainda se localizava ao lado do Engenho Central, na margem direita do Rio Piracicaba. Assim, a praça marcou o início da expansão da cidade para a margem esquerda do rio, organizando a distribuição dos prédios públicos e a construção da Catedral de Santo Antônio, que homenageou o padroeiro da cidade.

Com tal importância histórica, urbanística e cultural, a praça José Bonifácio, hoje, não é motivo de orgulho dos piracicabanos, pois sua situação atual deixa a desejar: a praça está malcuidada, degradada, transformando-se em ponto de atração de moradores de rua.

A obra planejada em 2019 que desativou a fonte da praça, com a reconstrução do piso e demolição de canteiros custou R$ 221 mil aos cofres da prefeitura. Quando se verifica o resultado, é difícil compreender porque se gastou dinheiro dos piracicabanos para destruir um dos símbolos da beleza da praça central. É de se questionar como é possível que uma cidade do porte de Piracicaba não seja capaz de manter sequer uma única fonte de água decorativa em bom estado de manutenção e conservação.

A prefeitura reportou gastos da ordem de R$ 250 mil em acessibilidade, modernização da iluminação, e adequação de estacionamento. Também noticiou gastos de R$ 142 mil com um novo projeto paisagístico na praça. Mas, a realidade é que o conjunto de todas essas obras não tornaram a praça mais aprazível ou mais bonita.

A troca de brinquedos do playground é um exemplo de obra malsucedida. Em pouquíssimo tempo, o chão já cedeu, e hoje parte do parquinho infantil encontra-se interditada, com obras que, a exemplo das anteriores, deixarão as marcas do projeto mal executado.

O coreto é outra demonstração de espaço público mal utilizado. Desde muito antes da pandemia do coronavírus não se via nenhuma programação musical ou cultural que pudesse atrair as famílias piracicabanas para o centro histórico da cidade.

Agora, o “novo normal” imposto pela pandemia está exigindo nova concepção dos espaços privados e públicos, com o foco voltado para as áreas externas e bem ventiladas. A praça José Bonifácio deveria ser repensada para se tornar um verdadeiro ponto turístico de Piracicaba, preservando a sua história e tradição.

É preciso se inspirar no exemplo de muitas cidades brasileiras e estrangeiras que são capazes de manter e conservar praças centrais dignas de sua tradição, adequando-as à modernidade, com os frequentadores tendo acesso gratuito à internet.

Nossa praça José Bonifácio deveria ser lugar seguro, aprazível, bonito, com fonte de água restaurada e vida cultural, onde as famílias piracicabanas pudessem ser atraídas para passear frequentemente. Afinal, é um dos nossos principais cartões postais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dois × quatro =