Resposta da Prefeitura de Piracicaba sobre não fornecimento de ração aos gatos do Cemitério da Saudade

Em nota, prefeitura afirma que não houve oferta de ração: "foi uma falha pontual e o problema já foi resolvido" Crédito: Claudinho Coradini/JP

Carta da Prefeitura

Ao contrário do que foi informado pelo Jornal de Piracicaba ontem (29), na notícia “Gatos do Cemitério da Saudade passam fim de semana sem ração”, a Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente gostaria de fazer alguns esclarecimentos importantes sobre a situação. A primeira delas é que os gatos foram, sim, alimentados no fim de semana. Ou seja, no sábado, domingo e na segunda-feira, entre 08h e 11h. Dois funcionários terceirizados, ouvidos pela Secretaria, informaram que os gatos foram tratados durante todo o fim de semana e também na última segunda-feira (27).

O jornalista Beto Silva, em sua manchete, induz o leitor a pensar que os gatos não foram alimentados, que passaram fome por três dias. Isso não é verdade. Graças a protetoras e ONGs, todos os gatos foram alimentados. Eles não passaram fome. A Secretaria já agradeceu essa mobilização e acertou de devolver, pelo menos, 100 kg de ração à ONG nesta quinta-feira (30).

O que ocorreu, de fato – e foi um erro que a Secretaria já assumiu e se desculpou –, é que não houve o abastecimento de ração no Cemitério da Saudade no fim de semana. O motorista responsável por transportar a ração – que fica no Cemitério da Vila Rezende – saiu de férias e, por falta de comunicação interna, não foi feita a reposição.

O problema foi solucionado na terça-feira (28) de manhã, com a entrega de sete sacos de ração para os gatos do Cemitério da Saudade. E ontem (29), por sugestão do secretário José Otávio Machado Menten (Meio Ambiente), foram entregues mais 20 sacos.

No novo acordo com as ONGs, a Prefeitura colocou o servidor Maurício Angelocci para intermediar e ampliar essa parceria. Dois representantes das ONGs já acompanham o trabalho dos novos tratadores desde o último sábado. Agora, segundo Menten, Maurício fará a fiscalização do estoque junto aos tratadores, para evitar problemas futuros.

Sobre a reunião articulada pelo prefeito Barjas Negri com protetoras e ONGs que trabalham no Cemitério da Saudade, a Secretaria informa que foi feito um acordo para aumentar a quantidade de ração para os gatos. Agora, são cerca de 24 kg/dia, ou a quantidade que as ONGs acharem necessária. Além disso, a pedido das ONGs, a Prefeitura treinou quatro trabalhadores terceirizados para alimentar os gatos diariamente, função que era das ONGs e das tratadoras.

NOTA DA REDAÇÃO

A matéria jornalística, objeto da manchete de ontem (29), teve grande repercussão nas redes sociais e entre leitores, a qual foi motivada pela falta de entrega dos sacos de ração, em desacordo com o TAC firmado entre a Prefeitura e o Ministério Público, em julho de 2014. Em nenhum momento no decorrer do texto se falou que os gatos ficaram sem comer ou passaram fome, como inferiu equivocadamente a Prefeitura, em sua resposta à nossa matéria. Os gatos foram alimentados no fim de semana apenas e tão somente graças aos esforços da ONG e de Elcian Granado que, “para conseguir ração, fez um apelo nas redes sociais por doações” (foto abaixo), como inclusive fora mencionado em nossa reportagem ontem (A4).

Crédito: Reprodução/Facebook

1 COMENTÁRIO

  1. Ta faltando vergonha na cara das pessoas. Políticos e pessoas preocupada com a fome de gatos e enquanto isso muitas pessoas passam fome e ninguém ta nem ai. Que fase!!!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

20 − 16 =