Rony tenta corresponder em campo o investimento feito pelo Palmeiras

Poucos jogadores chegaram por uma quantia milionária e se deram bem no Verdão (Foto: Cesar Greco)

O Palmeiras acertou na última semana a contratação do ponta-esquerda Rony, que estava no Athletico Paranaense, por R$ 28,4 milhões, superando o rival Corinthians, que também estudava a contratação do atleta, já que o mesmo trabalhou com o atual técnico. O Ponta é a segunda contratação mais cara da história do Alviverde e luta para ser um dos poucos atletas que chegaram por uma quantia milionária a vingar com a camisa da equipe.

A contratação mais cara da equipe na história e a única a frente de Rony, foi do atacante Miguel Borja, comprado do Atlético Nacional-COL por R$ 33 milhões em 2017, após o atleta ser artilheiro e campeão da Libertadores com a equipe colombiana. O atleta foi comprado com a esperança de levar o Verdão ao topo da América, porém suas atuações inconsistentes irritaram a torcida nos últimos três anos. Sem clima na equipe, Borja foi emprestado ao Júnior Barranquilla-COL por uma temporada e dificilmente voltará a jogar pelo Palmeiras.

Logo atrás de Rony, aparecem Gustavo Gómez (R$ 26 milhões), Carlos Eduardo (R$ 25,2 milhões) e Vitor Hugo (R$ 23 milhões), comprados do Milan-ITA, Pyramids-EGI e Fiorentina-ITA, respectivamente. O paraguaio Gómez conquistou a torcida logo em seu primeiro ano na equipe, assumindo a condição de titular absoluto, porém seu rendimento caiu em 2019. Carlos Eduardo chegou com pompa e mesmo marcando em um clássico contra o São Paulo, nunca caiu nas graças do torcedor, sendo emprestado para o Athletico-PR um ano após sua chegada. Vitor Hugo, foi recontratado da Fiorentina após uma boa primeira passagem, porém o defensor luta para repetir as atuações que o levaram para o velho continente.

Na sequência de contratações mais caras, aparecem Dudu (R$ 18,7 milhões), que completou 300 jogos recentemente e considerado o melhor reforço Alviverde na década; Deyverson, (R$ 18,7 milhões) atualmente emprestado ao Getafe-ESP e criticado pelos torcedores em razão de sua qualidade técnica; Diogo Barbosa (R$ 17 milhões), que continua na equipe mas ainda não se mostrou o jogador que foi no Cruzeiro; Matías Viña (R$ 16,5 milhões), que acabou de chegar do Uruguai; e Matheus Fernandes (R$ 15,5 milhões), que jogou pouco na equipe e já foi vendido ao Barcelona-ESP.

Mauro Adamoli