Rotary Club precisa de voluntários para costurar máscaras

Número de voluntárias caiu quase pela metade (Foto: Divulgação)

O Projeto Máscaras Amigas idealizado pelo Rotary Club Piracicaba Luiz de Queiroz quer chegar a confecção de 90 mil máscaras, para serem distribuídas às comunidades carentes e profissionais da Santa Casa de Piracicaba que estão lutando contra o pandemia da covid-19. A iniciativa, que começou no dia 31 de março, perdeu diversas costureiras voluntárias e agora precisa de mais voluntárias para que as máscaras fiquem prontas o quanto antes, como explica Rosely Assis, secretária Rotary Clube Luiz de Queiroz. “Precisamos de apoio para conquistar novas funcionárias. Tínhamos mais de 200, e agora temos aproximadamente 130. Perdemos quase a metade.

Sobre os motivos que ocasionaram a perda de voluntárias, Rosely disse que o principal foi a retomada de alguns comércios. “Muitas delas são artesãs e fazem as máscaras em horários de folga. Muitas não são profissionais e cada uma tem o seu dia a dia. Eles doaram um tempo e agora não tem muito tempo mais. O comércio está voltando a funcionar, as pessoas voltando a trabalhar, então esse é um fator. As que eram profissionais de costura (costureiras), também voltaram a trabalhar”, detalhou.




Rosely falou que o principal “setor” perdido durante essa pandemia foi o de confecções, no qual muitas voluntárias que trabalham nesta área estão sendo chamadas novamente. A secretária também disse que não precisa ser profissional para ajudar na confecção das máscaras. “Pode ser qualquer tipo de pessoa. É muito fácil costurar, nós enviamos o kit cortado, composto por quatro partes, já que são um tecido duplo e bico de pato. Enviamos as máscaras cortadas e o fio que substitui o elástico. Vai o kit completo. Qualquer pessoa que tenha uma máquina consegue fazer”, explicou.

Para pedir a máscara, Rosely explica que é preciso entrar em contato com a Secretária de Assistência Social para fazer um cadastro e depois esperar para receber o kit, composto de duas máscaras por pessoa e instruções de uso e de higienização.

Além da Assistência Social, a secretária do Club Rotary destacou e agradeceu as outras parcerias da iniciativa, como o Tiro de Guerra, que está levando e coletando o material para as costureiras, e a Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba), que está financiando o tecido.

No momento, o Projeto Máscaras Amigas já entregou mais de 17 mil máscaras de tecido para a população carente e 26 mil descartáveis para a Santa Casa de Piracicaba. No momento, o Club está com mais de 40 mil máscaras prontas para serem confeccionadas, aguardando apenas as novas voluntárias.

Mauro Adamoli