Em campanha, Rotary Luiz de Queiroz pede mais doação de sangue

0
128 views
‘Ser solidário está no sangue’ tem início amanhã (1º) | Foto: Divulgação

Devido ao pouco deslocamento de pessoas até o Hemonúcleo de Piracicaba para doação de sangue, muito por causa das restrições impostas pela pandemia da covid-19, o Rotary Club Piracicaba Luiz de Queiroz mais uma vez se mobiliza para sensibilizar a população da importância deste ato – simples, mas que salva vidas.

Em parceria com o Jornal de Piracicaba, Arraso e Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba), lança a partir de 1º de março a campanha ‘Ser solidário está no sangue’. O agendamento deve ser pelo site agendamento.hemocentro.unicamp.br.

Como conta a secretária do Rotary Luiz de Queiroz, Roseli Assis, trata-se de um serviço comunitário que visa o bem-estar de toda a população, ainda mais em um período complicado de pandemia. “A ideia é sensibilizar as pessoas que aquilo que elas têm de graça (o sangue), se doado um pouco, pode salvar até quatro vidas. Todos merecem viver”.

Luciana Sacheto Bueno, assistente social do Hemocentro da Unicamp em Piracicaba, lamenta que , com a pandemia e as medidas de isolamento social, houve queda brusca no estoque dos tipos sanguíneos. “O ideal é que se tenha cinco vezes a mais do que a demanda diária. Por exemplo, o sangue O+ tem saída de 24 bolsas por dia. Então, o ideal é ter, em estoque, cinco vezes este número, que é uma média da demanda diária, para trabalhar com segurança”, aponta.

Atualmente, reporta Luciana, estão no nível intermediário de alerta os estoques dos sangues O+, A+, AB+ e O-. Em estado crítico, que o nível mais baixo, isto é muito próximo do fim, estão os sangues tipo AB- e B-. “Os grupos sanguíneos O+ e O- ~são o que tem maior demanda de fornecimento, porque são os mais utilizados, pois servem para pacientes de outros tipos sanguíneos”, explica Luciana.

A parceria do Rotary, como já destacou Rosei, é de longa data, e Luciana lembra que, antes da pandemia, a dinâmica desta ação conjunta era diferente. “Fazíamos a coleta de sangue no Hemocentro no dia em que os parceiros podiam vir, agora trabalhamos com agendamento por meio do link, é um controle para evitar aglomeração. Os doadores devem vir de acordo com o agendamento prévio”.

A doação vai ser de segunda a sexta-feira e em apenas um sábado do mês de março, o qual ainda não está definido, conta Luciana. A data de coleta no sábado específico será devidamente publicada no Jornal de Piracicaba, assim que anunciada.

É possível acompanhar diariamente como estão os estoques dos tipos sanguíneos do Hemocentro de Piracicaba pelo site www.hemocentro.unicamp.br. Os dados informados pela assistente social são referentes a ultima contagem, na última sexta-feira (26).

Erick Tedesco | [email protected]

Leia mais

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

três + cinco =