Rua do Tatuapé afunda pela 6ª vez

Via foi reparada pelos servidores do Semob, mas voltou a apresentar problemas, segundo morador. (foto: Claudinho Coradini/JP)

Moradores da avenida Jaú, no bairro Tatuapé, reclamam novamente do afundamento e rachadura do asfalto , no qual já foram feitos seis reparos pelos servidores do Semob (Secretaria Municipal de Obras).

De acordo com o encarregado de setor de atacado Rogério Reginaldo, já foram feitas cerca de seis manutenções na avenida, mas em poucos dias o local voltar afundar. “O pessoal vem, faz vistoria, fala que vai arruma, mas fica elas por elas, esse lugar tá assim desde que me mudei há dois anos. Lamentável!”.

Ele contou que utiliza a avenida todos os dias há dois anos, para o trajeto de casa para o trabalho e que se ente inseguro aos passar pela via. “Atrapalha muito, não dá para andar pela calçada, então temos que vir pela rua, olhando bem os dois lados para não ser atropelado”, relata o pedestre.

Além de atrapalhar a passagem dos pedestres Rodrigo destaca que o transporte publico também tem dificuldades para passar pela via. “O afundamento é muito grande e também impede que o ônibus faça seu trajeto normal, pois, ele tem que ir pra outra faixa para não tombar, o que é perigoso”.

Os moradores desejam que o problema seja solucionado definitivamente para que possam andar tranquilos pela rua, perincipalmente as crianças que estudam próximo ao local.

Em junho deste ano, o Jornal de Piracicaba registrou problema e as queixas dos moradores. Na ocasião, a prefeitura informou que a Semob constatou que o problema identificado na avenida – de fato afeta – em todo o leito viário no trecho da rua, tendo sido elaborado projeto para contenção do local, porém – segundo a assessoria – o custo da obra é alto (cerca de R$ 360 mil). Por conta da falta de recursos disponíveis, a Secretaria tem buscado outras soluções que viabilizem a obra e de forma definitiva (não mais a paliativa).

A Semob foi procurada novamente pela equipe do JP e por meio de sua assessoria informou que existem, orçamentos, projetos e que estão aguardando a liberação da requisição. Mas não informou o motivo do problema sempre voltar, mesmo com os reparos feitos.

Letícia Azevedo
[email protected]