Suspensão da Wada se aplicará as Olimpíadas de Verão. (Foto: Divulgação)

A Wada (Agência Mundial Antidoping) excluiu a Rússia das principais competições esportivas mundiais nos próximos quatro anos por ter fraudado exames antidoping. De acordo com decisão unânime do comitê executivo da agência, anunciada na última segunda-feira (9), a Rússia de ficará fora da Olimpíada de Tóquio (Japão), em 2020, e dos Jogos Olímpicos de Inverno, em Pequim (China), em 2022. Quanto à Copa do Mundo de Futebol Masculino, no Catar, em 2022, a Fifa ainda não confirmou se o veto da Wada se estenderá à participação da Rússia no Mundial.

De acordo com a Wada, a Rússia cometeu uma série de violações como manipulação de dados laboratoriais sem autorização, a inclusão de mostras falsas nos testes, e a destruição de arquivos conclusivos a possíveis casos de dopagem. A decisão da Wada também impede que o país organize competições em seu território nos próximos quatro anos, com exceção da Eurocopa 2020, já que a cidade de São Petersburgo está mantida com uma das 12 sedes.

A Rússia poderá recorrer da decisão no Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) nos próximos 21 dias. Os atletas do país que não estão envolvidos nos casos de doping, poderão competir nas Olimpíadas e Jogos Mundiais, porém deverão competir sob uma bandeira neutra. Os resultados obtidos pelos atletas nesta condição não serão computados para o quadro de medalhas da Rússia caso o país não consigo reverter a decisão.

Em relação a próxima Eurocopa, a Rússia não foi excluída em razão da Wada não definir a competição como um grande evento internacional. Os russos estão no Grupo B, ao lado de Dinamarca, Finlândia e Bélgica. Em relação a Copa do Mundo, a Rússia poderá disputar normalmente as eliminatórias, porém sua possível participação no Mundial em caso de classificação dependerá da decisão da Fifa, que não se manifestou no momento.

Da Redação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezenove − quatro =