Sábado tem 5ª edição do Recitrônico

campanha Jaime Curcio entre estudantes do Rotaract: divulgação de evento. (Claudinho Coradini/JP)

A Afrop (Associação das Famílias de Rotarianos de Piracicaba) realiza no próximo sábado, das 9h às 13h, a 5ª edição do Recitrônico – programa desenvolvido pelos oito clubes do Rotary em Piracicaba para coleta de equipamentos eletrônicos usados ou sem uso. A Casa de Amizade, na avenida Comendador Luciano Guidotti, 2233, é o posto de arrecadação durante o dia de campanha. A Uniodonto, na rua Alferes José Caetano, 1352, no Centro, funcionará como ponto de coleta até o sábado.

De acordo com o presidente do Rotary Clube de Piracicaba/Vila Rezende, Jaime Curcio, na 1ª edição do Recitrônico foram coletados 300 quilos de equipamentos, na 2ª, 600 quilos, 1.200 quilos na 3ª e na última, 2.800 quilos. “ A nossa meta é arrecadar três mil quilos nesta 5ª edição”, afirmou Curcio. “Todos têm num quarto da casa, numa gaveta, em algum lugar da casa alguns equipamentos que não funcionam e não podem ser descartados em qualquer lugar”, afirmou. Os equipamentos quebrados e sem conserto serão entregues às empresas de sucatas para destino correto. “ Existe um certificado de quantidade e material destruído e dado o destino correto que essa empresa emite para o Rotary Club”, afirmou. Já os equipamentos antigos serão destinados para exposição e curadoria de Museu TIC de Piracicaba com apoio da Atepi (Associação das Empresas de Tecnologia de Piracicaba e Região), a ser instalado no parque Tecnológico de Piracicaba.



De acordo com Curcio, os aparelhos que estiverem em funcionamento ou que possam ser consertados serão destinados ao Bazar do Rotary Club, onde serão colocados à venda com valores simbólicos e a renda será revertida ao Rotary Club Internacional e à Casa da Amizade. Segundo o rotariano, podem ser doados computadores, aparelhos eletrônicos, celulares, telefones; impressoras, periféricos; eletrodomésticos e pilhas.

O presidente da Atepi, Vitor Pires Vencovsky, chama a tenção apara o descarte correto dos componentes dos computadores. Segundo ele, o manuseio desses aparelhos não oferece riscos à saúde porém, se lançados de maneira inadequada no solo ou corpos d‘água, causam danos ao Meio Ambiente. “Esses componentes sofrem com o tempo um processo de oxidação e passam a eliminar substâncias”, explicou.destacando a necessidade do descarte correto. Segundo ele, Piracicaba não possui equipamentos próprios para fazer o descarte correto.

(Beto Silva)