Santos e Boca decidem a segunda vaga para a final da Libertadores

Quem vencer na Vila Belmiro estará na final; Boca joga pelo empate com gols CRÉDITO: Ivan Storti/Santos FC

O Santos recebe o Boca Juniors-ARG nesta quarta-feira (13), às 19h15, na Vila Belmiro, em Santos, pelo segundo jogo da semifinal da Copa Libertadores 2020. O primeiro jogo em Buenos Aires terminou empatado em 0 a 0, portanto, quem vencer viajará para o Rio de Janeiro para jogar a decisão da competição. Qualquer empate com gols classifica os argentinos, em razão da regra do gol marcado como visitante, enquanto novo 0 a 0 leva a definição do finalista para a disputa de pênaltis.

O técnico Cuca falou sobre a preparação para o jogo, ressaltando que é um momento especial para os jogadores, mas sempre respeitando o time e a história do Boca. “Nós estamos em uma semifinal e temos que ganhar para chegar à final. Quando você chega é um momento mágico, uma sensação única, então é difícil falar. Você sente, não consegue expor aquele sentimento, então tomara Deus que a gente possa fazer esses meninos sentirem isso. Que quarta-feira a gente consiga fazer um grande jogo e que nós todos estejamos preparados para um jogo difícil. Não é um jogo comum. É uma decisão, contra um time super importante no cenário mundial, um time acostumado, seis vezes campeão, um time maduro, super experiente, que sabe decidir. Então precisamos estar preparados para tudo isso, não apenas para jogar um jogo decisivo”, afirmou o técnico.

Após a partida em Buenos Aires, em que o Santos reclamou de um pênalti não marcado no atacante Marinho, o clube paulista teve dois casos positivos de covid-19 em seu elenco (John e Wagner Leonardo) no qual o Boca pensou em fazer uma reclamação a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) sobre o Santos ter ciência do jogador estar infectado e colocá-lo em campo para prejudicar a equipe argentina.

O Santos, porém, seguiu os protocolos estabelecidos para viagens internacionais de forma que, antes de entrar na Argentina, comprovou que toda a sua delegação estava negativa para o vírus. Os testes de PCR foram feitos de acordo com a cartilha da Conmebol, que pede que a comprovação seja feita com 24 horas de antecedência em relação ao início da viagem.

Em setembro, o Boca foi autorizado pelo Ministério da Saúde do Paraguai a viajar para o país, mesmo com casos de covid em seu elenco e o protocolo da Conmebol para este caso. À época, o Libertad-PAR, adversário dos argentinos, se revoltou com o caso.

Outra polêmica ocorreu no fim de semana, após um jogo dos argentinos pela Copa Diego Maradona, no qual o atacante Ramon Ábila foi perguntado se trocou de camisa com um dos jogadores infectados, mas ele respondeu que “troquei com o negro”, se referindo ao atacante Marinho. O atleta ainda ridicularizou as denúncias de racismo, mas ignorou o nome, número e a posição de Marinho, fazendo referência apenas a cor da pele, sem se importar se o termo era uma ofensa ou não.

O Santos tem vantagem contra equipes argentinas na Libertadores, com nove vitórias, dois empates e seis derrotas (em uma dessas derrotas, a partida terminou empatada em 0 a 0, mas o Peixe foi declarado perdedor por ter escalado um jogador de forma irregular), mas nos confrontos eliminatórios o Peixe está em desvantagem. No total o Alvinegro tem duas classificações (contra o próprio Boca em 1963 e contra o Vélez Sarsfield-ARG em 2012) e acumula três eliminações (Independiente-ARG em 1964 e 2018, e Boca em 2003).

Mauro Adamoli

LEIA MAIS:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

5 × um =