São Paulo busca sua primeira vitória contra a Ferroviária no século 21

Tricolor, de Fernando Diniz, volta a jogar em Araraquara (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Após o empate no Choque-Rei, o São Paulo enfrenta a Ferroviária, hoje, às 21h30, novamente na Arena da Fonte Luminosa, em Araraquara. O Tricolor está invicto e sem levar gols na competição, liderando o Grupo C, enquanto o adversário tem um ponto e dois jogos e ainda persegue a sua primeira vitória.

Pensando em seu segundo jogo seguido em Araraquara, o elenco do São Paulo aproveitou o período entre os jogos para se recuperar do desgaste entre os jogos. Os titulares contra o Palmeiras fizeram trabalhos regenerativos, enquanto os reservas trabalharam mais com bola. O atacante Helinho, que sofreu uma entorse no tornozelo esquerdo durante o Choque-Rei, foi liberado da concentração no interior paulista e retornou ao CT da Barra Funda, onde começará a fisioterapia para se recuperar da lesão.

Após a derrota para o Santo André, o técnico Sérgio Soares falou do pouco tempo de treinamento da equipe, mas ressaltou que trabalhou pensando em como anular o Tricolor. “É um jogo difícil, mas bom de se jogar. Tivemos apenas um dia pra trabalhar, mas focamos na compactação, de fechar os espaços e ter agressividade e velocidade para fazer um bom jogo e buscar o resultado contra o São Paulo”, comentou.

A partida na Fonte Luminosa será a primeira entre as equipes em Araraquara no século 21, já que, até 2015, a Ferrinha estava nas divisões inferiores. E 2016 e 2017 as equipes caíram no mesmo grupo e o time de Araraquara não chegou as quartas de final. Nos dois anos seguintes (2018 e 2019) a partida foi em São Paulo e ambas terminaram empatadas.

Na última temporada, São Paulo e Ferroviária empataram em 1 a 1 no Morumbi, gols de Hernanes e Léo Arthur, respectivamente. A última partida entre eles no interior foi no Paulistão de 1996 e terminou em 1 a 1. O último triunfo da Ferrinha foi em 1995, quando venceu por 1 a 0, enquanto a última vitória Tricolor foi por 4 a 1 em 1994.

Mauro Adamoli