Neste ano foram registrados quatro casos de febre maculosa (Foto: Claudinho Coradini/JP)

A Secretaria de Saúde de Piracicaba informou ontem que a Vigilância Epidemiológica investiga o que pode ser a segunda morte por febre maculosa no ano na cidade. O assistente social aposentado Antonio Carlos, conhecido como Totó Danelon, morreu anteontem aos 70 anos, com suspeita da doença. Neste ano, segundo a pasta, foram registrados quatro casos de febre maculosa, sendo uma morte. Já no ano passado, foram três mortes e um total de oito diagnósticos.

De acordo com a secretaria municipal, sem tratamento adequado, a febre maculosa tem alta letalidade, podendo chegar a 85% dos casos. A recomendação é de que, no caso de febre até 14 dias da retirada do carrapato, ou de ter frequentado área de risco para a doença, a pessoa deve procurar o serviço médico e relatar que foi picada pelo parasita para que receba a antibioticoterapia adequada.

CUIDADOS E SINTOMAS
Com relação aos cuidados e prevenção da doença é aconselhado o uso de roupas de cor clara, vestimentas longas, calçados fechados (preferencialmente com meias brancas e botas de cano longo) ao frequentar áreas favoráveis à presença de carrapatos(em especial beira de rios, ribeirões, córregos), o que facilitará a visualização dos parasitas.

No caso de trabalhadores o uso de equipamentos de proteção individual obrigatório nas atividades ocupacionais como capina e limpeza de pastos. Não entrar em áreas onde há placa indicativa de risco para febre maculosa, examinar o corpo periodicamente ao frequentar áreas propícias à presença de carrapatos, tendo em vista que quanto mais rápido eles forem retirados do corpo, menor a chance de infecção.

Carrapatos no corpo devem ser retirados com leves torções e com o auxílio de pinça, evitando o contato com unhas e o esmagamento.

Os principais sintomas da febre maculosa são febre acima de 38,5 graus e calafrios de início súbito, dor de cabeça intensa, náuseas e vômitos, diarreia e dor abdominal, dor muscular constante. Em casos graves pode haver paralisia nas pernas que migra até os pulmões causando parada respiratória e gangrena em dedos e orelhas.

Beto Silva

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

4 × 5 =