Sede própria da Câmara de Vereadores é tema de exposição

A mostra foi desenvolvida pelo Departamento de Documentação e Transparência da Casa de Leis (Foto: Divulgação)

O aniversário de 253 anos de Piracicaba – neste 1º de agosto – coincide com uma comemoração na Câmara de Vereadores de Piracicaba. Na mesma data, em 1975 (há 45 anos), era inaugurado o Edifício Prudente de Moraes, o prédio principal da Casa de Leis, na rua Alferes José Caetano, 834, Centro. As curiosidades e informações históricas desse marco foram reunidas em uma exposição virtual.


A mostra é uma criação do Departamento de Documentação e Transparência e está disponível entre os dias 1ª e 30, pela plataforma My Portfolio, no endereço exposicao45anos.myportfolio.com, ou no ícone no topo da página inicial do site da Câmara. “Conseguimos a planta original, com o arquiteto Walter Naime, um dos responsáveis pelo projeto, como ainda o memorial justificativo, com a assinatura dos também arquitetos Cyro Otavio Gatti Ferraz de Toledo e João Chaddad”, explica Bruno Didoné de Oliveira, que dirige o departamento e assina a supervisão da exposição virtual.

A pesquisa envolveu o trabalho da arquivista Giovanna Fenili Calabria e das estagiarias Eduarda Moretti, Bianca Andrade, Laura Lima e Vitória Melega.

Para a organização do conteúdo no site, a equipe do departamento criou seções sobre o projeto arquitetônico, a ata inaugural das novas instalações, imagens da inauguração e a divulgação na imprensa, além de uma galeria de imagens sobre o Edifício Prudente de Moraes em 2020.

No topo do site da exposição virtual há o menu “Depoimentos”, entre eles do atual presidente da Câmara, vereador Gilmar Rotta (CID). “Temos Prudente de Moraes como nosso patrono, o primeiro presidente civil do país, além de vereador e presidente desta Casa, senador e deputado. É aqui que a população vem debater saúde pública, conversar com os vereadores, participar das audiências públicas. Temos uma Câmara inclusiva, democrática, atendendo todas as demandas. É onde discutimos o crescimento de nossa querida Piracicaba”, declarou Gilmar, no material disponível.

De acordo com Oliveira, para a montagem da exposição, a equipe do departamento recorreu ao jornalista e advogado Antonio Messias Galdino, assessor parlamentar do gabinete do vereador Carlos Gomes da Silva, o Capitão Gomes (PP).

Galdino ocupou vários cargos no Legislativo local nos últimos anos e era, no ano de 1975, o presidente da Câmara, então composta por 17 vereadores, dos partidos MDB e Arena (os dois únicos existentes no período).

Entre as contribuições dadas por Galdino à equipe esteve a identificação das fotografias da inauguração.

Segundo Galdino, um novo prédio foi necessário porque as instalações da Câmara estavam funcionando de forma improvisada. “Estávamos em um prédio pequeno, mal-ajeitado, desalojado, quase caindo”. O prédio antigo ficava na esquina das ruas Alferes José Caetano e São José (onde hoje é o estacionamento da Câmara).

O projeto original, denominado de “Praça dos Três Poderes”, previa a ocupação de todo o quarteirão das ruas Alferes José Caetano, São José, Rosário e Prudente de Moraes. A ideia dessa praça era a de concentrar também as sedes do Executivo municipal e do Judiciário estadual, que, interligados por uma esplanada, concentraria eventos cívicos. A inspiração veio da construção de Brasília.

As obras começaram em 1967 e demoraram a ficar prontas por causa da morte, um ano depois, do então prefeito Luciano Guidotti. A entrega do edifício aconteceu na gestão de Adilson Benedicto Maluf, com algumas modificações ao projeto original. “Havia esse edifício parado, que eu tive a satisfação e a honra de conseguir, com o prefeito da época, a conclusão das obras e a inauguração, no dia do aniversário da cidade”, declarou Galdino, o primeiro presidente negro da Câmara, fato que considera “um pequeno avanço social, no sentido da inclusão do negro na sociedade piracicabana”.
A primeira Reunião Ordinária realizada na nova sede foi em 4 de agosto de 1975.

Da Redação