Vitor Prada trabalhou com Moisés Egert no Marcílio Dias-SC Foto: Bruno Golembiewski / CNMD

O XV iniciou a última semana antes do inicio da Copa Paulista do mesmo jeito que começou a anterior, com contratações, apresentações e saídas. Logo pela manhã, foram contratados o goleiro Vitor Prada, ex-Marcílio Dias-SC e o volante Mateus Silva, ex-Tombense-MG, além do goleiro Dida, ex-Portuguesa, que foi oficializado na última sexta-feira (23). Na parte da tarde foram apresentados o meia-atacante Guilherme Garré, do Imperatiz, e o atacante Fabinho, emprestado pelo Brusque-SC. Em contrapartida, o atacante Erison foi emprestado ao Figueirense-SC.

APRESENTAÇÕES

Guilherme Garré tem experiência no futebol paulista, resultado de sua passagem pelo Santo André, na qual foi bicampeão da Série A2 (2016 e 2019), além da Copa Paulista de 2014, na qual eliminou o próprio XV dentro do Estádio Barão da Serra. Garré, inclusive, marcou um dos gols da vitória por 2 a 0. Antes carrasco, Garré falou como essa experiência pode ajudar o XV a chegar no bicampeonato. “Fizemos grandes campeonato, no qual o grupo foi ganhando forma com essa experiência e acho que aqui não será diferente. A equipe começou a ser formada agora, mas temos tudo para fazer um grande campeonato. A partir doo momento que a equipe se encaixar dará tudo certo.

Fabinho chegou a Itália aos 15 anos e fez toda a sua base por lá, no qual atuou por Udinese, Salernitana, Modena, Perugia, Vicenza e Paganese. O atleta falou sobre como essa experiência pode ajudar a equipe, já que o futebol italiano é conhecido por ser mais defensivo. “Cheguei lá e você sabe como é jogador brasileiro. Não gosta de marcar (risos). Logo quando cheguei meu primeiro técnico da base disse que primeiro teria que marcar, para depois atacar, então tive que me adaptar muito rápido, já que o futebol italiano é muito tático, independente da divisão. Primeiro eles pensam na defesa, para depois atacar”, detalhou Fabinho.

O ataque do XV sofreu diversas modificações, com a saída de diversos aletas da posição, como Raphael Macena, Caio Mancha e Erison, além das chegadas de Tito e Jajá, Garré e Fabinho. Esses dois últimos falaram sobre essa disputa, que começa em igualdade para os quatro atletas. “Acho que será bem difícil, Quem estava aqui e quem está chegando tem tudo para ajudar e quem decide isso é o professor. Quem tiver melhor irá jogar”, disse Garré. “Essa será uma decisão do treinador, já que é ele quem decide quem jogará ou não. Claro que quem estava aqui tem mais respeito, mas essa parte de quem atuará ou não ´r uma escola do Moisés, já que quem estiver melhor irá jogar”, concluiu Fabinho.

REFORÇOS

Reforço para o gol, Dida foi assinou contrato até o fim da Copa Paulista. Mineiro de Belo Horizonte, Valdemar Pereira Júnior, o Dida, de 1,96m de altura, tem em seu currículo conquistas estaduais atuando no Nordeste do Brasil, defendendo as cores do América-RN (em 2012 e 2014) e do Campinense-PB (em 2016). Na mesma região, atuou ainda por Sampaio Corrêa-MA e ASA-AL, entre outros. No estado de São Paulo, além da Portuguesa, jogou pelo Atibaia, ainda no início de carreira. Na temporada 2014/15 agregou experiência internacional ao se transferir para o Olhanense de Portugal.

Vitor Prada, natural de Nova Trento-SC, trabalhou com o técnico Moisés Egert no Marcílio Dias-SC no Campeonato Catarinense, no qual a equipe de Itajaí ficou em quarto lugar na primeira fase e terminou na quarta posição. Vitor também estava na equipe que vinha disputando a Série D (os catarinenses estão em quinto lugar no Grupo A8). Vitor foi revelado pelo Avaí-SC e também atuou no Camboriú-SC, Remo-PA, Votuporanguense e Caldense-MG. O goleiro tem 28 anos e 1,90m de altura.

Mateus Silva tem 29 anos, é natural de Glória-SE, jogou a Série A3 pela equipe do Primavera (primeiro adversário do XV na competição) e chega após uma breve passagem no Tombense-MG. O atleta atuou no Sergipe-SE, Ponte Preta, Salgueiro-PE, Mogi Mirim, Bragantino, Mirassol, Guarani e CRB-ALE. Fora do Brasil Mateus jogou no Paços de Ferreira e no Nacional da Madeira, ambos de Portugal. Mateus foi campeão da Série D com o Tombense e campeão da segunda divisão portuguesa com o Nacional-POR, além de conquistar um acesso para a Série A1 de 2016 com o Mirassol, no qual trabalhou ao lado de Moisés Egert.

DE PIRA PARA FLORIPA

O atacante Erison foi emprestado para a equipe do Figueirense, na qual disputará o Campeonato Brasileiro Série B. Antes de chegar a Santa Catarina, o atleta renovou por dois anos o contrato com o XV. O empréstimo aos catarinenses será sem custo, porém, um acordo firmado entre os clubes estipula opção de compra que poderá ser exercida pelo Figueira até o término da cessão. O valor fixado não foi divulgado.

Mauro Adamoli

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 + oito =