Segundo testemunhas da queda, acidente poderia ter sido pior

Foto: Claudinho Coradini/JP

Piloto Celso Carloni trabalhava como comandante e possuía experiência em voos internacionais

O acidente que vitimou o empresário Celso Silveira Mello Filho, sua família, piloto e copiloto, na manhã desta terça (14), no
bairro Santa Rosa, poderia ter sido ainda pior, de acordo com relatos de professores da Fatec (Faculdade de Tecnologia) de
Piracicaba Deputado Roque Trevisan. No horário da queda da aeronave, às 8h45, a professora de bioquímica, Daniela Defavari do Nascimento, disse que estava em uma das salas quando comentou com os alunos que acompanhavam a aula de que tinha ouvido um avião bem próximo da faculdade e, em seguida, um enorme estrondo que pode ser sentido por ela e outros professores que estavam no prédio da faculdade naquele momento.

“O piloto conseguiu desviar dos prédios antes de colidir com o morro. Poderia ter sido uma tragédia maior.” – relatou a professora.

A coordenadora do curso de tecnologia alimentos da Fatec Piracicaba, Erika Maria Roel Gutierrez, estava abrindo o portão que dá acesso ao morro, quando ouviu a colisão da aeronave a poucos metros de distância. “Ouvi o som do avião que estava muito baixo e, em seguida, a explosão atrás de mim. A chama se levantou e senti o calor com o início do incêndio”, contou.

O piloto, Celso Elias Carloni, 39 anos, trabalhava como comandante na aviação executiva e possuía experiência, inclusive, em voos internacionais, segundo seu perfil na rede social LinkedIn. Giovanni Dedini Gullo, 24 anos era o copiloto.

O diretor do aeroporto municipal Pedro Morganti, de onde o avião partiu minutos antes da queda, Marcelo Kraide Soffner, acompanhou o trabalho da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

Segundo ele, um dos fatores que vão contribuir com a investigação sobre a queda da aeronave é o fato de o modelo possuir a gravação de vozes, a chamada caixa preta. Kraide disse que o material recolhido pelos técnicos vão favorecer o trabalho investigativo que não tem prazo para ser encerrado e divulgado. “Um acidente que a gente ainda não entendeu, pode ter sido uma pane ou algum outro problema, que a investigação com certeza vai analisar, com as peças, posições eles vão ter uma certa facilidade para identificar quais foram as causas”, apontou.

A Anac, informou que ‘nesse momento, compete apurar as informações operacionais sobre a situação da aeronave e
dos pilotos a bordo — este último após confirmação oficial sobre os comandantes do voo’. Sobre o aeroporto, a agência
informou que não há restrições vigentes.

Beto Silva
Edilson Morais

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dezoito + cinco =