Semae esclarece reclamação sobre conta de água de R$ 10 mil

Reclamação de comerciante foi publicada na semana passada, pelo JP (Foto: Amanda Vieira/JP) Reclamação de comerciante foi publicada na semana passada, pelo JP (Foto: Amanda Vieira/JP)

Após matéria publicada pelo Jornal de Piracicaba, o Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) de Piracicaba informou ontem que na aferição do hidrômetro do depósito de gás da comerciante Sueli Inácio da Silva, no Algodoal, foi constatado que a aferição não seria possível porque o equipamento está com o relógio quebrado, o que segundo a autarquia, poderia ter influenciado no volume registrado na fatura do mês de abril, quando foi registrado o consumo de 256 metros cúbicos, o que resultou na conta de R$ 10.111.34.

Por meio da assessoria de imprensa, o Semae informou que irá recalcular a fatura pelo consumo médio dos últimos seis meses. A comerciante entrou em contato com a redação do JP na semana passada para se queixar da conta abusiva. As últimas pagas referente ao endereço variavam entre R$ 80 e R$ 100.
Sueli ficou sabendo da decisão do Semae ontem, pela reportagem. Ela disse que qualquer pessoa que olhasse para o hidrômetro poderia ter falado qual era o problema. “Isso estava na cara, mas eles gostam de fazer o povo sofrer”, afirmou.

OBRIGAÇÃO

Quanto ao recálculo com base nas faturas dos últimos seis meses, a comerciante disse que sofreu muitos transtornos para ir até o Semae, pois precisava fechar o depósito de gás para se deslocar até a sede da autarquia. “Pelo transtorno que foi, eu – sinceramente – acho que eles deveriam rever as contas de muitos que estão passando pela mesma situação que eu. Coloquei na mão de um advogado, pois fechei meu estabelecimento três vezes pra ir atrás de resolver uma coisa que eles deveriam ter visto na primeira visita do fiscal. Isso aí que eles fizeram não é mais que obrigação deles”, afirmou a comerciante.

Beto Silva