Semana Thales de Andrade é lei, mas ainda sem destaque na cidade

Comemorações ao filho ilustre da cidade são tímidas (Foto: Acervo público)

A Semana Thales Castanho de Andrade foi instituída em 20 de julho de 2000, por meio do então vereador Moacir Nazareno Monteiro, um confesso admirador da obra do escritor piracicabano. Como lei, deveria ser celebrada, anualmente, na semana do dia 15 de setembro, data de nascimento de Thales. No entanto, esse esforço ficou no ‘devia’, no pretérito imperfeito, mesmo.

Apesar de ter acontecido em 2019 e ter a edição 2020 suspensa devido à pandemia, o evento, isto é, a lei, ficou esquecida por um período, que nem mesmo Poder Público, grupos literários e arquivos históricos dão conta se aconteceu ou não depois de 2008.

Nos arquivos da Câmara de Vereadores de Piracicaba e da Prefeitura Municipal, antes da realização da Semana em 2019 (na Biblioteca “Ricardo Ferraz de Arruda Pinto”), a última menção ao evento é de setembro de 2008, quando foi oficialmente inaugura dia 18 daquele mês, durante reunião ordinária do Legislativo e que contou com atividades na escola municipal que leva seu nome desde o dia 15.

Pela lei, a organização do evento ficaria a cargo da então Semac (Secretaria Municipal da Ação Cultural), hoje SemacTur, e a coordenação dos trabalhos seria da citada comissão, com representantes do Clube dos Escritores de Piracicaba, da Ação Cultural, da Biblioteca infantojuvenil Thales Castanho de Andrade, da EM Thales Castanho de Andrade, da Secretaria Municipal de Educação e da Diretoria Regional de Ensino.

Questionada sobre a realização da Semana nos últimos anos, a pasta, respondeu que “a Biblioteca sempre teve uma programação especial em homenagem à Thales Castanho de Andrade, com a Hora do Conto. Além disso, no programa Educativa nas Letras sempre, no mês de setembro, se falava sobre as histórias do escritor”. A Biblioteca Municipal, aliás, junto ao IHGP , são espaços de acesso público, gratuito, que detêm obras diversas de Thales – de clássicos às não tão conhecidas.

O JP questionou a Secretaria Municipal de Educação se a pasta já enviou livro da autoria de Thales de Andrade às escolas do município, no entanto, não obteve resposta. A secretaria tampouco respondeu à reportagem quais são as eventuais atividades pedagógicas, ao longo do ano letivo, alusivas à vida e obra do escritor.

Erick Tedesco