Câmara recebeu pedido de quebra de decoro seguido de abaixo-assinado (Foto: Divulgação)
Câmara recebeu pedido de quebra de decoro seguido de abaixo-assinado (Foto: Divulgação)

A Câmara de Vereadores de Piracicaba recebeu ontem o pedido de quebra de decoro parlamentar contra o vereador Marcos Abdala (PRB). O documento, acompanhado de um abaixo- -assinado, foi protocolado por um grupo de servidores do Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) em protesto às declarações feitas por Abdala em um áudio do Whatsapp, no qual ele diz a uma interlocutora que as falhas no abastecimento e as contas de água com valores desproporcionais são resultantes da sabotagem de funcionários da autarquia.

Revoltados com as insinuações do parlamentar e alegando que as equipes que atuam nas ruas vêm sendo hostilizadas pela população que tomou conhecimento do áudio, os trabalhadores decidiram fazer a denúncia à Comissão de Ética da Casa e ao Ministério Público. O grupo não descarta medidas cíveis e criminais contra o vereador.

Na próxima quinta-feira (28) dois servidores usarão a tribuna da Câmara de Vereadores para expor as consequências da fala do parlamentar para a categoria e cobrar uma atitude do Legislativo.

Na sessão ordinária de anteontem, Abdala usou a tribuna para se justificar e pedir desculpas aos trabalhadores da autarquia. “Eu não me reconheço naquela fala e agi sob forte pressão”, foram alguns dos argumentos ditos por ele.

O diretor do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Piracicaba, São Pedro e Região, José Osmir Bertazzoni, vai ocupar a tribuna da Câmara para falar sobre o assunto. Ontem, o presidente da entidade, José Valdir Sgrigneiro, disse que não sabe o teor da fala do diretor, que representa o sindicato nas questões jurídicas.

O sindicalista disse que no dia 19 foi encaminhado uma carta ao presidente do Legislativo, Gilmar Rotta (MDB), na qual a diretoria solicitou uma manifestação de Abdala, justificando os motivos das afirmações.

De acordo com Sgrigneiro, o vereador gravou um áudio em sua página no Facebook e enviou uma carta ao sindicato pedindo desculpas aos servidores. “Ele nos enviou uma carta e ontem (quinta-feira) pediu desculpas na tribuna”, afirmou o sindicalista acrescentando que a diretoria jurídica da entidade está à disposição dos servidores que pretenderem ingressar com uma ação por danos morais contra o vereador. Por meio da assessoria de imprensa, a diretoria do Semae informou que “a administração respeita a opinião do vereador, entretanto afirma que os servidores da autarquia são comprometidos com o objetivo de prestar o melhor serviço à população de Piracicaba”.

Beto Silva

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

treze − 2 =