Funcionários disseram que não houve nenhum comunicado (Foto: Amanda Vieira/JP)

Funcionários ligados à cultura e ao esporte do Sesi Piracicaba, assim como de outras unidades do interior paulista da instituição, foram demitidos nesta semana, entre segunda-feira (18) e ontem. O Sesi-SP justifica as demissões devido à crise provocada pela pandemia da covid-19. Alguns destes demitidos afirmam que a demissão foi inesperada e aconteceu sem justificativa alguma.

“A crise do coronavírus tem castigado todos os setores da economia. O Sesi-SP tem feito todos os esforços para preservar seu quadro funcional. Entretanto, é impossível ignorar a queda de arrecadação causada pela desaceleração da economia, a redução compulsória de 50% da receita nesses meses e o nível de inadimplência, que é imprevisível”, disse a instituição em nota, enviada via assessoria de imprensa.

No comunicado, o Sesi-SP afirmou que está “impossibilitado” de manter funcionando as áreas esportivas e culturais. “É um momento difícil para todos e até lá o Sesi-SP trabalhará com afinco para que o impacto seja o menor possível”.

A instituição, no entanto, não respondeu ao questionado do Jornal de Piracicaba se existe um planejamento de extinguir em definitivo estes setores da unidade local. Tampouco se posicionou se pretende reaver as demissões – ou contratar um novo quatro – ao término da pandemia.

No total, em todo o estado, o Sesi-SP demitiu sete mediadores culturais, sete orientadores de artes cênicas, um operador técnico de teatro, três técnicos de áudio, além de outro de luz, quatro de palco, 20 funcionários técnicos do Teatro do Sesi Paulista, quatro supervisores de cultura e quatro analistas de cultura.

Uma pessoa demitida do Sesi Piracicaba, que pediu anonimato, conversou com o JP sobre a situação. “Nossa preocupação não é só pelas demissões, que claro são péssimas e cruéis neste momento de pandemia, já que somos artistas e não existe perspectiva de retorno, mas isso significa a paralisação de um trabalho de anos junto à população local”. O Sesi Piracicaba, que fica na Vila Industrial, pode ser considerado um polo cultural e esportivo da cidade.

Um manifesto em defesa da cultura no Sesi, fomentado pela classe artística de todo o estado de São Paulo e desvinculado da instituição, já está em curso. “É muito explícito o que acontece. É preciso mostrar que existe um projeto de 30 anos em prol da cultura dentro dos Sesis e apontar o desmonte de serviços e profissionais de cultura, mobilizar a sociedade para essa cobrança”, relata um dos organizadores, que preferiu não se identificar.

Em paralelo, uma petição circula desde ontem pela internet, intitulada ‘Diga não ao fim das atividades culturais e dos Teatros do Sesi-SP’. “Já são mais de 50 profissionais demitidas entre técnicas dos teatros, orientadores de artes cênicas, educadores de dança e mediadores culturais”, critica a página dentro da Avaaz.org, uma rede online para mobilização social global. A petição, ao atingir um número de assinaturas, será endereçada à instituição.

Erick Tedesco

1 COMENTÁRIO

  1. Eles alega crise mais a mensalidade nós tá pagando valor integral sendo que as aulas tá sendo pela plataforma e nem funciona corretamente….

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

2 × 1 =