Setor de seguro atrai profissionais com “Visão de Futuro”

Driblando a crise, setor cresce e se destaca como alternativa no mercado de trabalho em cidades do interior (Foto: Divulgação)

Na área de seguros, não basta vender, é preciso orientar o cliente em cada etapa da decisão de um assunto tão complexo e importante como é assinar uma determinada apólice. Principalmente quando falamos de clientes residentes no interior que, pela própria natureza do dia a dia de nossas cidades, é mais exigente e meticuloso do que os clientes de grandes centros. Até porque têm mais tempo para analisar item por item de um contrato.

Sim, o cliente de cidades médias e grandes do interior do Estado de SP está propenso a investir em seguros. Quer adquirir sua apólice. Sabe que precisa dar esse importante passo. Mas o caminho das pedras deve ser dado por um profissional altamente capacitado que pode ajudar o cliente a entender as “letrinhas miúdas” de um contrato. E atenção: mesmo com as novas tecnologias nada substitui o atendimento olho no olho que só um corretor pode proporcionar, como afirma Alexandre Camillo, que preside o Sincor-SP, um sindicato que tem presença forte no interior do Estado, com dezenas de regionais.

A boa notícia para quem busca uma alternativa de grande potencial de remuneração no mercado de trabalho no interior é que cidades pequenas e médias possuem características perfeitas para a profissão. Pela própria natureza da vida cotidiana nas cidades do interior, geralmente com altos padrões de qualidade de vida, é mais fácil o relacionamento direto corretor/cliente. Em outras palavras, o fator credibilidade, indispensável em qualquer relação comercial, acontece mais facilmente em cidades do interior.

E isso permite que como um médico que visita o paciente em sua própria casa, o corretor de seguros que atua no interior pode se reunir com a família em qualquer horário do dia ou da noite, inclusive nos finais de semana. Um fator importante porque seguro é assunto que envolve sempre outros elementos da família e onde pesa muito a opinião de esposa e filhos.

OPORTUNIDADE

Trabalhar com seguros pode ser a oportunidade de quem quer ter seu próprio negócio sem precisar fazer grandes investimentos em estrutura empresarial. Hoje, para ser um empreendedor de sucesso, um corretor pode operar a partir de sua própria casa, construindo paulatinamente uma carteira consistente de clientes. E o que é melhor: clientes que tendem à fidelização, renovando suas apólices ano após ano.

Esse padrão de assessoria vale não só para pessoa física como também para clientes empresariais, já que os próprios executivos de médias e grandes corporações carecem de orientação técnica precisa. E como numa bola de neve, um cliente leva a outro num processo onde todos ganham, corretores e consumidores.

O caminho para essa profissionalização não é difícil. Entidades do setor como a Escola Nacional de Seguros e as delegacias regionais do Sincor SP podem orientar os interessados sobre cursos e capacitação.

Os números do setor impressionam. A nível mundial, o faturamento do setor de seguros conta-se na casa dos trilhões de dólares. O corretor de seguros no Brasil leva vantagem sobre outros países onde é forte a chamada “venda direta”, operação comercial realizada diretamente por seguradoras e bancos. Em nosso país, o fator humano compete de igual para igual com a mais avançada tecnologia de internet, porque o brasileiro gosta de conversar, perguntar, quer saber os detalhes. Esse tipo de atendimento só é possível com um bom relacionamento pessoal, que vai muito além de um simples toque de computador.

Edson Motta
Especial para o JP