Síndrome atinge 164 crianças de 16 escolas municipais

Foto: Alessandro Maschio/JP

Criança com os sintomas deve ser encaminhada ao médico, que fará o afastamento da creche/escola

As secretarias de Educação e de Saúde de Piracicaba informaram ontem (3) que, neste ano, foram registrados 164 casos da síndrome mão-pé-boca em 16 unidades escolares da cidade. De acordo com as pastas, não é possível a comparação quanto ao ano passado por causa da pandemia do novo coronavírus e não houve registro de casosda síndrome, uma vez que a cidade teve lockdown, o que afetou funcionamento das escolas e creches.

Em Piracicaba, segundo as secretarias municipais, não houve registro de unidades escolares fechadas sob a justificativa da síndrome mão-pé-boca. Por orientação da Vigilância Epidemiológica, as creches devem fazer a notificação dos casos, por meio da saúde do escolar. A criança com os sintomas deve ser encaminhada ao médico que fará o afastamento da creche/escola pelo tempo necessário.

A Educação informou que, por ser uma doença de transmissão fecal-oral, todas as creches também foram orientadas (não só as que estão tendo surtos) a aumentar os cuidados com a limpeza e desinfecção em especial dos sanitários, portas, maçanetas, colchonetes, brinquedos e outros, com atenção especial dos cuidadores com a lavagem de mãos e ao manipular os alimentos que serão oferecidos as crianças, bem como após os cuidados de higiene dos bebês (troca de fraldas).

Além dessas recomendações os pais são orientados sobre a higiene das mãos das crianças e que as unhas delas devem ser mantidas bem curtas de forma a evitar que, ao se coçarem, contaminem as lesões levando a um quadro de infecção secundária.

O órgão informou que a síndrome, em geral, são quadros benignos, são raros casos mais graves e ainda mais raros óbitos devido à doença. Um caso mais grave e que leve a internação pode ocorrer, por exemplo, devido ao grande número de lesões na cavidade bucal dificultando a hidratação e ingestão de alimentos.

Os sintomas da síndrome são febre, lesões na boca e pequenas bolinhas que surgem nas mãos e pés.

Beto Silva
[email protected]

LEIA MAIS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

8 + 14 =