Sinfônica estreia 2022 na Catedral para levantar fundos e restaurar órgão

Foto: Rodrigo Alves

No próximo dia 5 haverá dois concertos na igreja; ingressos já estão disponíveis

A OSP (Orquestra Sinfônica de Piracicaba) fará duas apresentações no primeiro fim de semana de fevereiro a fim de levantar fundos para o restauro do órgão de tubos da Catedral de Santo Antônio. Haverá suas sessões no próximo dia 5, às 16h e às 19h, na igreja central com entrada gratuita. A estreia da Temporada 2022 foi escolhida para acontecer na matriz e chamar a atenção para doações espontâneas via PIX – use a chave CNPJ 44.802.999/0005-91, da Paróquia de Santo Antônio – Catedral. Os espetáculos terão a regência do maestro alemão Knut Andreas, com solos do organista piracicabano Júlio Amstalden. Para acompanhar ao vivo, os ingressos devem ser retirados na sacristia da Catedral de terça-feira à sexta-feira, das 9h às 11h30 e das 13h às 15h, e, aos sábados, das 9h às 12h – a campanha também pede a doação de um litro de leite por ingresso. O espaço irá receber um público de 250 pessoas por sessão. Os espectadores serão recebidos com medida contra a covid-19, incluindo distanciamento físico e necessidade do uso de máscara.

Os concertos serão realizados com recursos da Prefeitura do Município de Piracicaba, por meio da Semac (Secretaria Municipal da Ação Cultural), com patrocínio prata da Caterpillar e Hyundai e patrocínio bronze da CNH Industrial, via Lei de Incentivo à Cultura. Os apoiadores são a Empem, Jornal de Piracicaba, Revista Arraso e Rádio Educativa FM.

O órgão de tubos da Catedral tem quase 80 anos de história. Em Piracicaba, há quatro órgãos de tubos – o maior é o da Catedral com dois teclados, pedaleira e aproximadamente 21 registros. O instrumento foi construído em 1943 pelo alemão Guilherme Berner para o Santuário Sagrado Coração de Jesus (Santos-SP). Segundo o diretor artístico e regente titular da OSP, o maestro Knut Andreas, o instrumento é comum nas igrejas das cidades europeias, porém, pouco encontrado no Brasil. Os motivos são o alto custo da manutenção e o calor que prejudica as peças do órgão.

“Existem várias obras para orquestra sinfônica e órgão, mas, raramente encontramos um órgão em salas de concerto. Como consequência, para apresentar estas obras em um teatro tradicional, é preciso simular o seu som com o teclado eletrônico, que não proporciona o mesmo efeito.” Para a apresentação serão executadas obras de Johann Sebastian Bach, Max Bruch e Ludwig van Beethoven. Na peça de Bruch, haverá a corregência de Phelipe Serafim.

Cristiane Bonin
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

sete − 6 =