“Subsídio maior a ônibus é por segurança”, diz Jorge Akira

Akira disse que o montante a ser repassado pelo município para bancar a operação pode não chegar nem a 30% (Foto: Claudinho Coradini/JP)

A proposta de elevar o subsídio para o custeio do sistema de transporte coletivo público em Piracicaba a até R$ 1.025.910 por mês em 2020 visa conferir “segurança jurídica” ao contrato emergencial firmado com a Trans Acreana, já que o montante a ser repassado pelo município para bancar a operação “pode não chegar nem a 30%, 40% do que está sendo solicitado” pelo projeto de lei 64/2020.

A explicação foi dada pelo secretário municipal de Trânsito e Transportes, Jorge Akira, em reunião promovida pela Câmara de Vereadores ontem. Questionado por todos os parlamentares presentes, o secretário disse que a administração buscou alternativas para oferecer o serviço em caráter emergencial. “Fizemos convite para várias empresas participarem desse certame, inclusive todas as de Piracicaba, que declinaram”, disse. A Trans Acreana (Tupi), foi contratada por R$ 34 milhões por seis meses.

Akira exibiu planilha com números do setor em Piracicaba. A média de passageiros transportados por mês caiu de 2.820.871 em 2014 para 2.252.359 em 2019 (retração de 20% em 5 anos). té agora, 2020 registra média de 1.249.755 transportados por mês.