Refugiados: Eles deixam tudo para trás, menos a esperança de dias melhores

A busca do estudante Sameh Brglah, 27, por um lugar seguro para fugir da guerra na Síria, da possibilidade de se tornar um soldado e de não poder estudar começou em 2012. Depois de ter passado por países como Líbano, Jordânia, Singapura, Malásia e Turquia, em 2015 chegou ao Brasil. Sem a família, mas com […]

Leia Mais