Temporal provoca queda de árvores e alagamentos

Várias ruas e avenidas ficaram alagadas. Na rua São João, no Centro, um carro ficou submerso diante do volume de água (Foto: Claudinho Coradini/JP)

A chuva que caiu na cidade no final da tarde de ontem (26), com duração de 45 minutos, gerou quedas de árvores, alagamentos e irregularidades em semáforos. Segundo a Defesa Civil choveu 34,8 milímetros, com ventos de 10,2 quilômetro por hora. Não foi registrado vítimas.


As árvores que caíram foram na avenida Pompeia, próximo ao número 2940 e na avenida Pedro Morganti, próximo à Esalq/USP, onde também teve queda de um poste de energia elétrica. Estão sendo aguardadas as viaturas do Corpo de Bombeiros para cortar as árvores e da CPFL para fazer as retirada do poste e restabelecer a energia.

De acordo com Odair Luiz de Melo, coordenador da Defesa Civil, os alagamentos registrados foram na avenida 31 de Março, perto do Teatro Municipal, avenida Alberto Vollet Sachs, perto do supermercado Coop, se estendendo até o Clube Cristovão Colombo, no bairro Morumbi; avenida Voillet Sachs, com a Rua Saldanha Marinho, no bairro Vila Independência, causando a interdição dessa vias, mas já estão sendo liberados.


De acordo com informações da Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes), os semáforos que apresentaram irregularidades com a chuva foram os das Avenida Independência com as ruas XV de Novembro e Moraes Barros, rua D. Pedro I; Benjamin Constant com a Floriano Peixoto e Benjamim Constant com a Riachuelo e avenida Armando Salles de Oliveira com a rua Regente Feijó. Mas já estão sendo restabelecidos.


A operação contou com o apoio de agentes da Semuttran, orientando os motoristas e desviando o trânsito para evitar que os carros não ficassem alagados e também o Corpo de Bombeiros.

As equipes continuam trabalhando nos atendimentos emergenciais. As principais ruas e avenidas já foram desobstruídas. A chuva também não trouxe maiores consequências quanto à vazão do rio Piracicaba. Às 18h30, o nível da água atingiu 2.32 metros. O rio Piracicaba extravasa quando atinge 4,70 metros.


Contudo, a Defesa Civil continua monitorando a situação e acompanhando os pontos mais críticos com risco de alagamentos. As equipes da Defesa Civil seguem em esquema de plantão na cidade para acompanhar e atender, caso necessário, os moradores das regiões críticas.


Pessoas que vivem em áreas de risco e se sentirem em perigo podem ligar para os telefones 199 (Defesa Civil) e 153 (Guarda Civil), Corpo de Bombeiros (193) e solicitar apoio.

Da Redação

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

13 − 5 =