Parte do acervo da Biblioteca Municipal (Foto: Acervo público)

Como nome do alto escalão da literatura infantojuvenil nacional, Thales Castanho de Andrade, ganhou desde abril, seus 130 anos de história disponíveis em acervo digital, no www.thalesdeandrade.com.br. O site é uma realização da Academia Piracicabana de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba.

Fotos, documentos, publicações e recortes de jornais configuram suas maiores referências para consulta digital gratuita a todos os pesquisadores e entusiastas da literatura nacional. O acervo físico foi organizado inicialmente pelo fundador da Academia Piracicabana de Letras, João Chiarini, com a contribuição de outros admiradores, tais como Elias Salum, Hugo Pedro Carradore e Moacir Nazareno Monteiro. “Após organização e digitalização de diversos documentos, o acervo está acessível para que novas pesquisas possam ser realizadas sobre o escritor”, explica Vitor Pires Vencovsky, presidente da Academia Piracicabana de Letras.

Thales publicou cerca de 50 livros – grande parte incorporada à época pelas instituições de ensino no Brasil como material imprescindível em sala de aula. Saudade, escrito em 1917, foi seu livro mais famoso, conhecido como o livro ideal, obrigatório e o livro dos livros. Outras obras publicadas: A Filha da Floresta, Itaí, A Estrela Mágica, El-Rei Dom Sapo, Bem-te-vi Feiticeiro, O Pequeno Mágico, Trabalho, O Gigante das Ondas, Dona Içá Rainha; Bela, a verdureira, A Rainha dos Reis e Caminho do Céu, entre outras.

Por todas as suas contribuições na literatura, o professor que marcou gerações é lembrado e homenageado pela Lei Municipal n.º 4.857 de 2.000, consolidada pela Lei n.º 5.194 de 2.002.

MUSEU PRUDENTE
Thales de Andrade é também peça de museu. Segundo a diretora do Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes, Renata Gava, a coleção Thales de Andrade do espaço tem medalhas, documentos diversos, fotografias e livros. “Todos os objetos doados são acervo do Museu, a diferença é que uns estão expostos e outros guardados na Reserva Técnica”, ela explica. O museu está hoje fechado ao público, mas mesmo se estivesse em pleno funcionamento, se não fosse a pandemia, mas mesmo assim, os visitantes não encontrariam nada da coleção exposta. Segundo Renata, tudo está, atualmente, na reserva técnica.

Erick Tedesco

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

três + sete =