Trabalhadores do setor público se adequam à nova rotina

Departamentos atuam com menos pessoas. (Foto: Claudinho Coradini/JP)

Em tempos de pandemia do coronavírus toda as categorias profissionais passaram e passam por adaptação ou mudança da rotina de trabalho. No serviço público não foi diferente. Com o decreto de calamidade pública assinado pelo prefeito de Piracicaba, Barjas Negri (PSDB), em 23 de março, ficou estabelecido o regime de quarentena na cidade e definidas medidas para o enfrentamento da Covid-19.

De acordo com o decreto, durante o período, a prefeitura, autarquias, fundações e empresas públicas irão manter integralmente os serviços essenciais à população, como a Saúde, Segurança e Assistência Social, sempre adotando medidas para a proteção dos trabalhadores.

O atendimento presencial, conforme o documento, foi suspenso nos serviços não essenciais, estabelecendo sistema de rodízio entre o servidores, com trabalhos realizados em casa ou em regime de teletrabalho.

Já os serviços oferecidos no térreo 1 e 2 da prefeitura, de atendimento ao público, como pagamento de multas e taxas também foram suspensos presencialmente, mas com atendimento mantido via telefone, e-mail ou 156.

De acordo com a prefeitura, durante a situação de calamidade pública, servidores gestantes, lactantes, com idade a partir de 60 anos, expostos a qualquer doença ou outra condição de risco de desenvolvimento de sintomas decorrentes da infecção pelo Covid-19, deverão ser colocados em sistema de trabalho em casa.

Um mês após o decreto, a reportagem questionou a Prefeitura de Piracicaba sobre como está a rotina do serviço público, pagamento dos servidores, aumento do quadro de funcionários essenciais, porem, a administração municipal não se manifestou até o fechamento desta matéria.

PODER LEGISLATIVO
Na Câmara de Vereadores, a resolução 01/2020 aprovada em plenário, definiu a forma de trabalho dos departamentos durante o período da pandemia.


A partir da decisão, os diretores dos departamentos estão atuando na Casa, diariamente, coordenando as equipes. Cada Departamento tem uma natureza de atividade, por exemplo. 

A comunicação está com os servidores em home office, com condições de execução das tarefas de produção jornalística, produção para vídeo e rádio. Já o departamento de administração, por exemplo, tem servidores home office, outros em revezamento, como no caso do setor de informática, protocolo e manutenção.

Todos os estagiários trabalham em casa, terceirizados da portaria e limpeza trabalhando em revezamento.

Segundo a Câmara, são pouco mais de 300 pessoas, envolvendo servidores, estagiários e terceirizados que, no trabalho presencial, recebem orientações de proteção.
 
GASTOS
A Câmara de Piracicaba cortou R$ 4.050 milhões do orçamento para destinar às medidas de combate ao coronavírus. Foi uma transferência direta às rubricas da saúde.  O recurso foi cortado do duodécimo que era de R$ 3.670 milhões e passou a R$ 3.220 milhões.

O enxugamento foi em manutenções, custeio e horas extras dos servidores e não há risco de comprometimento dos vencimentos, segundo informou o Legislativo.

Beto Silva

[email protected]