Trabalho remoto com iluminação, cores e afetividade

Iluminação é o ponto chave para a funcionalidade do home office

Home office, como o nome sugere (escritório em casa), é a modalidade que mantém diversas empresas em funcionamento durante o período da quarentena imposta pela pandemia do Covid-19 isto é: o trabalho remoto. No aconchego do lar, o serviço pode desandar sem organização e, principalmente, sem um lugar adequado para realizar as tarefas do dia. O trabalho em casa pode ser um deleite à procrastinação, e contra esse mal o ideal é ajustar um cômodo ou canto da habitação quase que exclusiva para a labuta formal.

Um home office bem iluminado, colorido e decorado com objetos que ativam a memória afetiva é uma forma de garantir a produtividade e a concentração, destaca o arquiteto Wesley Lemos, há 25 anos no ramo, muitos deles vividos profissionalmente inclusive em home office, e com escritórios em São Paulo, Salvador e Aracaju. Um espaço inteligente e agradável é um enorme passo à organização que demanda o trabalho remoto, ele conta.




“O correto para o home office é escolher um lugar que a pessoa sinta que pertence a ele. Uma parte confortável, arejada e tranquila da casa. Pode ser uma varanda, o antigo quarto do filho que já não mora mais ali ou mesmo um espaço da sala de estar”, afirma Lemos. Segundo o arquiteto, até mesmo montar o escritório numa suíte é possível. “Basta tomar cuidado para a luminosidade do computador não ir direto para onde se acomoda o companheiro”, pondera.


A iluminação, aliás, é ponto chave para a funcionalidade do home office, acredita Lemos. O profissional sugere buscar sempre o equilíbrio entre a luz branca (led ou da tela do computador, por exemplo) com a luz amarela, ou seja, a proveniente do Sol. “A luz solar é essencial e vale pensar o home office a partir das várias nunces da incidência dos raios do Sol ao longo do dia. O importante é que o espaço receba a luz branca de acordo com a temperatura e a luz natural”.

Quanto às cores, o arquiteto comenta que não se trata necessariamente de algo materializado, como uma parede pintada, por exemplo, mas que o colorido esteja presente em objetos. “Uma poltrona amarela pode trazer um ótimo contraste com o cinza. Uma obra de arte bem colorida quebra uma cor fria”, exemplifica Lemos. Ele ainda ressalta: “Neste momento, não é recomendável que traga um pintor para dentro da casa, lembrando que estamos em uma quarentena contra um vírus”.


Sobre objetos para ambientar o home office, as dicas do arquiteto são para pendurar fotos nas paredes, cultivar plantas neste espaço, trazer um artesanato à mesa ou algum objeto que traga memórias afetivas.

Lemos dá mas dicas para o local do trabalho remoto. “Coloque a mesa ou escrivaninha próximo à janela para também ajudar na liberação de circulação dos espaços. Também é legal ter estantes para acondicionar livros, acervos do trabalho e objetos do dia a dia. Pense também na ergonomia, é importante para manter o corpo saudável e evitar dores e mal jeitos. Uma moringa com um copo por perto também é recomendável, para sempre se hidratar sem precisar sair constantemente do home office.”

Erick Tedesco

Fotos: Celina Germer