Três pessoas são conduzidas à delegacia durante operação da Polícia Civil contra jogos de azar

Foto: Polícia Civil

Três pessoas foram conduzidas à delegacia, por volta das 18h desta quinta-feira (05), durante uma grande operação da Polícia Civil em combate ao jogo de azar. Uma grande quantidade de material também foi apreendida pelos policiais.

Após realizar um trabalho de investigação, policiais da 2ª Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) identificaram, na cidade de Rio Claro, dois imóveis que estariam sendo utilizados para prática de jogo de azar. Os jogos estariam ainda sendo promovidos por um casal de Piracicaba, sendo um homem de 37 anos e sua namorada de 26.

Durante vigilância velada, ficou constatada a presença do casal na casa de jogos ilícitos, bem como movimentação de pessoas típica de tais estabelecimentos. Os policiais descobriram, também, que após ações realizadas em duas grandes casas de jogos de azar daqui de Piracicaba, nos anos de 2018 e 2020, o casal teria migrado a atividade criminosa para a cidade de Rio Claro, onde não era conhecido e, assim, não levantava suspeitas.

Um relatório de investigação foi elaborado pela equipe de investigação e, na sequência, representado junto ao Poder Judiciário da Comarca de Rio Claro pela expedição de mandados de busca e apreensão nos locais onde estariam funcionando as casas de jogos. Com os mandados deferidos, policiais da 2ª Dise foram até os locais com apoio das equipes da 1ª DIG (Delegacia de Investigações Gerais) e 3ª DHPP, ambas da Deic (Divisão Especializada em Investigações Criminais). Foi uma ação simultânea.

No primeiro local, equipes detiveram uma mulher que se apresentou como responsável, sendo ali localizadas 33 máquinas caça níveis em pleno funcionamento. Já no segundo local, equipes localizaram mais 30 máquinas caça níqueis em funcionamento e detiveram também mais duas mulheres, sendo uma delas a namorada de 26 anos do dono das casas. Ele, contudo, não foi localizado. Em ambos os locais, diversos objetos foram apreendidos utilizados para a prática de jogos de azar.

Diante das circunstâncias, o delegado Demetrios Gondim Coelho, titular da 2ª Dise–Deic, acompanhou a diligência e acionou a Polícia Científica para que perícia fosse realizada em todas as máquinas, que foram inutilizadas com a retirada dos respectivos coletores de notas, discos rígidos, placas de circuito e cartões de memória. As três pessoas foram conduzidas à delegacia e, posteriormente, liberadas.

Ao todo, fora apreendidos 58 colhetores de notas (noteiros), 24 cartões de memória, 17 discos rígidos, 13 placas de circuito, quatro aparelhos celulares, três máquinas de cartão de crédito/débito, dois DVRs com gravações das câmeras de segurança e R$ 785 em espécie, além de quatro cadernos com anotações de movimentações financeira das casas.

Foto: Polícia Civil
Foto: Polícia Civil

Rafael Fioravanti | [email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

2 × 1 =