Um alerta para o câncer nos rins

Foto: Reprodução

Patologias renais muitas vezes são descobertas em estágios avançados, pois o rim não dá sinais do problema

Junho é conhecido como mês verde, tanto devido à conscientização do meio ambiente, quanto de um dos cânceres de crescimento quieto e mortal: o câncer nos rins.
Conhecido informalmente entre os médicos e cientistas como “os órgãos silenciosos” os rins demoram para manifestar problemas sendo só diagnosticados quando a situação está em um estágio avançado de problema. Segundo o Dr. Andrey Soares, oncologista clínico do Centro de Oncologia do Hospital Albert Einstein e diretor científico do LACOG-GU (The Latin American Cooperative Oncology Group-Genitourinary), apenas 10% dos casos apresentam sintomas. “Os principais são dor abdominal, tumor palpável ou sangue na urina, mas a grande maioria dos casos não apresenta sinais. Ainda vale lembrar que, a maioria dos episódios de sangramento na urina não representa câncer de rim”, explica.
É por conta disso que atualmente o câncer nos rins é considerado o 12º tipo de câncer mais comum no mundo, cuja prevalência é maior entre os homens com idade média de 64 anos. De acordo com a instituição American Cancer Socity, o câncer de rim é muito raro em pessoas com menos de 45 anos de idade.
O câncer renal é um dos que mais cresce em número de casos, com estimativa de aumento de 22% até o ano passado, em todo o mundo. Em geral, a doença é descoberta incidentalmente durante a realização de exames de check-up (como, por exemplo, em uma ultrassonografia do abdômen). “Por ser um exame simples e de fácil acesso a grande maioria dos pacientes, a ultrassonografia é uma forma de acompanhar os pacientes que possuem histórico familiar, um dos fatores de risco para esse tipo de tumor”, aponta.

CAUSAS

Não existe causa definitiva para qualquer tipo de câncer, pode ser hereditário, exposições radioativas ou tabagismo. A obesidade, hipertensão e históricos da Doença de Von Hippel-Lindau e uso constantes de diálises podem também influenciar na causa.
Como estratégia preventiva do câncer renal, a mudança de hábitos, como uma dieta equilibrada e a prática de atividade física, complementa as ações para manter a saúde em dia. “25% dos casos estão relacionados ao tabagismo e a obesidade, por isso a adoção de hábitos saudáveis é fundamental para minimizar os riscos”, finaliza o médico.

TRATAMENTO

De acordo com as informações do hospital Sírio-Libanês, cirurgia é o único tratamento curativo definitivo para o câncer de rim. “A nefrectomia radical, ou seja, a retirada em bloco do rim com seus revestimentos (fascia de gerota), glândula adrenal (somente em grandes tumores ou no pólo superior do rim) e linfonodos regionais é o tratamento tradicional para os tumores do rim”, comentou o hospital em sua página digital.
A opção de rádios e quimioterapias não são indicadas para o tratamento deste tipo de tumor. “As únicas modalidades que apresentam respostas objetivas comprovadas são a imunoterapia com interferon ou interleucina com respostas modestas e alta toxicidade. Mais recentemente surgiram as drogas inibidoras da angiogênese, que têm demonstrado índices de resposta muito promissores, sendo a principal opção terapêutica nos pacientes com doença metastática”, informa o hospital.

Larissa Anunciato
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dezessete + 3 =