Unimed Piracicaba adere ao programa de parto adequado

Iniciativa valoriza parto normal e reduz as cesarianas (Foto: Divulgação)

A Unimed Piracicaba renova a contratação do serviço de Parto Adequado, desenvolvido pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), Hospital Albert Einstein e Institute for Healthcare Improvement. A iniciativa conta com o apoio do Ministério da Saúde.

“Este projeto estimula hospitais e operadoras de saúde a desenvolverem modelos de atenção ao parto e nascimento que valorizem o parto normal e reduzam o percentual de cesarianas eletivas desnecessárias, oferecendo às mães e aos bebês o cuidado apropriado, na hora certa”, disse o presidente da Unimed Piracicaba, Carlos Joussef.

Mais do que priorizar a saúde da família, o dirigente conta que o projeto conscientiza médicos e gestores para a estrutura adequada dos centros hospitalares e o preparo das equipes, baseada numa medicina de evidências, além de condições socioculturais e afetivas da gestante e da família. “Acompanhamos de perto as mamães ao longo da gestação, durante todo o trabalho de parto e pós-parto”.

Desde o ano passado, o Hospital Unimed reestrutura sua equipe por meio de cursos de formação e capacitação, principalmente médicos e enfermeiras obstetras. Além disso, amplia o espaço físico, viabilizando um local agradável para o bem-estar de pacientes e familiares. “Nossas equipes criaram protocolos de pré-natal de baixo e alto risco. A iniciativa diminui riscos e estimula que a gestante chegue ao fim do pré-natal saudável e possa optar pelo parto vaginal. Com isso, diminuímos a mortalidade materna e fetal e criamos condições de atender a necessidade de nossas beneficiárias de forma segura e assertiva”, revelou.

A iniciativa já sensibiliza mães e profissionais de saúde que o bebê tem seu tempo e que as fases da gestação devem ser respeitadas. “A escolha pelo tipo de parto deve levar em consideração a saúde, já que os riscos associados à cesariana existem e podem resultar em problemas graves para mães e bebês, como complicações respiratórias, dificuldades para amamentar e infecções puerperais”.

Joussef completa, ainda, que é importante que a gestante se informe, busque apoio de especialistas para entender as opções e faça sua escolha de forma consciente. “Cesáreas são importantes, mas quando há indicações clínicas”, enfatizou.

CAMPANHA NACIONAL
A fase 3 do Parto Adequado foi lançada em outubro de 2019 e tem como lema “Construindo um Movimento para a Saúde, Segurança e Equidade na Gestação e no Parto”. Para ampliar o número de hospitais praticantes das recomendações e as mulheres beneficiadas pelas medidas, foi criado o Movimento pelo Parto Adequado, que tem como objetivo promover a disseminação das estratégias de melhoria da qualidade da atenção do parto e nascimento em grande escala, com possibilidade de inclusão do conjunto total de maternidades e operadoras do País.