Usuários da UPA relatam que faltam médicos para atender a população na unidade. (Crédito: Claudinho Coradini/JP)

Usuários da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Piracicamirim reclamam de falta de médico e demora no atendimento no plantão da madrugada.


“Aproveitando que estou no Pronto Socorro do Piracicamirim, informo do descontentamento do povo perante a falta de médicos. Aqui era para ter três plantonistas, sendo que só tem um atendendo plantão total e foi cortada do plantão do outro médico para seis horas […] com a demanda alta deveriam aumentar os médicos”, enviou ao Jornal de Piracicaba o atendente Alex Chiodi, na madrugada da última terça-feira (10), quando ficou da meia-noite às 3h na UPA.


Ele conta que outros pacientes “começaram a discutir falando do atraso, que tinha gente desde às 6h da tarde esperando atendimento e que estava demorando muito”, diz.


Chiodi lembra também que um médico chegou a reclamar de que uma colega havia ido embora depois de fazer plantão de seis horas. “O médico mesmo chegou pra gente nessa fila de espera e começou a reclamar que uma médica que estava de plantão e que era só seis horas o plantão dela que enquanto ele atendeu 60 pacientes em seis horas, ela conseguiu atender 30 e não estava dando conta e foi embora, mas não sei afirmar se ela foi embora porque era horário dela ou foi embora porque foi embora”, conta.


Procurada pela reportagem do JP, a SMS (Secretaria Municipal de Saúde) informou por meio da assessoria de imprensa que na 3a feira (3) a UPA estava com “demanda elevada” e que das 18h à meia-noite foram atendidos 107 adultos e 32 crianças. Durante todo o dia, a nota informou que o tempo de espera foi em média de duas horas.


A nota ainda pontuou que “não havia médico(a) no plantão da noite, mas sim, dois médicos(as) atendendo o público”. A SMS afirmou ainda que das 19h até à 1h da madrugada ficam dois médicos de plantão para consultas e um para emergência e internação. Após 1h, acaba o plantão de seis horas de um dos médicos e que então o responsável pela internação também atende a consultas. “Portanto, o médico, e não a médica, foi embora à 1 hora da madrugada, respeitando o horário de escala, como acontece em todas as UPAs da rede municipal de saúde da cidade”, finaliza a nota.

Andressa Mota

[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

6 + 13 =