Vacinação contra gripe continua nas unidades de saúde, conforme disponibilidade das doses

Foto: Prefeitura de Piracicaba/Divulgação

De acordo com o último balanço, Piracicaba aplicou mais de 96,4 mil doses

Ampliada para todas as pessoas com seis meses de idade ou mais devido à baixa procura, a vacina contra gripe (influenza/H1N1) está disponível em todas as unidades de saúde do município enquanto durarem os estoques. De acordo com o último balanço da campanha, de 21 de julho, a Prefeitura de Piracicaba, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, aplicou 96.425 doses da vacina.

A vacinação ocorre nas unidades de saúde de segunda à sexta-feira (dias úteis), a partir das 8h. Para receber a vacina, a pessoa deve levar um documento de identificação com foto. Para vacinar crianças é necessário apresentar ainda a carteirinha de vacinação.

Mesmo com a ampliação da faixa etária contemplada na campanha, a meta de vacinar 90% das pessoas que compõem os grupos prioritários das 1ª e 2ª etapas continua. Porém, a cobertura ainda não foi atingida. De acordo com o balanço, foram vacinadas 65.309 pessoas contempladas nessas etapas, o que representa 55% do total estimado dessa população, que é 118.643. A meta (90%) corresponde a vacinar 106.776 pessoas.

Fazem parte dos grupos prioritários das 1ª e 2ª etapas crianças com mais de seis meses e até seis anos; trabalhadores da saúde; gestante; puérperas (mulheres até 45 dias após o parto); idosos e professores da educação básica das redes pública e privada.

A campanha de vacinação contra gripe (influenza/H1N1) tem por objetivo reduzir as complicações, as internações e a mortalidade decorrentes das infecções pelo vírus influenza, na população alvo para a vacinação, assim como prevenir as consequências sobre os serviços de saúde, minimizar a carga da doença, reduzindo os sintomas que podem ser confundidos com os da Covid-19.

COVID-19 – A campanha de vacinação contra gripe neste ano coincide com a campanha de vacinação contra a Covid-19. O Ministério da Saúde orienta que a população deve priorizar a vacina contra a Covid-19. O intervalo mínimo entre as duas vacinas deve ser de 14 dias.

Da Redação

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

16 − quatro =