Valorizar a democracia e lutar pelo Brasil: jovens que não precisam votar, mas decidiram tirar o título

Foto: Claudinho Coradini/JP

Eleitorado brasileiro cresceu em abril, segundo o TSE, e ganha mais de meio milhão de jovens aptos a votar

O Brasil teve um ganho de um milhão e meio de eleitores no mês de abril quando comparado a março de 2022. Os dados foram divulgados este mês pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que realizou uma campanha para incentivar jovens a tirar o título.

Além do TSE, celebridades brasileiras, como a cantora Anitta, e internacionais, como o ator Leonardo di Caprio, também encabeçaram um movimento para politizar adolescentes e fazer com que os que ainda não são obrigados a votar, tirassem o título para participar do pleito deste ano.

E parece surtiu efeito. Segundo o TSE, alguns números chamaram atenção, em especial quanto aos jovens brasileiros com 16 e 17 anos, para os quais o voto é facultativo. Em março, o eleitorado total apto a votar nessa faixa etária era de 1.051.184 eleitores, sendo 732.033 jovens com 17 anos e 319.151 com 16 anos. Esse quantitativo teve um crescimento significativo em abril, de 54,3%, indo para 1.622.732 jovens, sendo 1.038.321 eleitores com 17 anos e 584.411 com 16.

Em Piracicaba, o TSE informou ao JP que, até abril, a cidade registrou 600 eleitores na faixa dos 16 anos; e 1.401 com 17 anos. Em dezembro de 2021, o total de eleitores nestas faixas etárias era bem menor: 195 com 16 anos e 501 com 17 anos. Ou seja, em 2022, quase triplicou (187,5%) o número de eleitores piracicabanos com idades entre 16 e 17 anos. Piracicaba tem hoje 301.723 eleitores.

O estudante do Anglo de Piracicaba, Téo Fescina Sartori, 17 anos, morador do bairro Campestre, decidiu tirar o título mesmo não sendo obrigatório votar na sua idade. “Eu acho que é muito importante que nós, jovens, tenhamos protagonismo diante à democracia e aos direitos dos cidadãos que nos são concebidos, uma vez que o futuro do país a nós pertence”, disse, em entrevista ao JP. Segundo ele, “não adianta os jovens ficarem reclamando das políticas públicas”. “O que adianta se queixar se não nos esforçarmos para estudar a política, se informar sobre os projetos políticos. Temos que estar realmente integrados a estes assuntos. Temos que participar da escolha do líder que irá nos representar ao longo de quatro anos”.

O estudante, que quer fazer odontologia, espera que o próximo presidente da República traga propostas na área da educação e que tenha uma preocupação maior em relação a investimentos nas universidades públicas. “Também espero ações que contribuam com o meio ambiente”, disse.

ENGAJAMENTO POLÍTICO
Julia Barbosa Marques, mora no São Dimas, também tirou o título recentemente, com 17 anos. “Mesmo que ainda não seja um dever, considero ser crucial a oportunidade de já exercer meus deveres como cidadã. Pois é por meio do título que conseguimos eleger nossos representantes, uma vez que a escolha do agora, faz a completa diferença para alcançarmos um País com melhores condições no futuro”, declarou ela. Vários amigos de Júlia, que sonha em ser psicóloga, também tiraram o título pela primeira vez. “Surpreendentemente, os jovens que participam do meu círculo têm um engajamento político excelente. Tanto que a maioria tirou seu título de eleitor”.

A jovem se mostra engajada quando o assunto envolve políticas públicas para o Brasil crescer. “Espero que (os políticos) comecem a focar suas campanhas nos setores corretos, aqueles que tem a capacidade real de alterar a situação brasileira. Como um investimento decente na educação, principalmente nos campos das pesquisas acadêmicas, nas cobranças de impostos que se adequem ao bolso da população, além de um reajuste digno nos salários dos trabalhadores. E em ações que incentivem as artes e o entretenimento”, defendeu.

CARTÓRIOS ELEITORAIS
Piracicaba tem três cartórios eleitorais (zonas 93, 244 e 270). A chefe da zona eleitoral 270, Luciana Diniz Daniel, disse que foi surpreendente a procura, nas últimas semanas, pelo novo título e também pela regularização junto à Justiça Eleitoral. “Tivemos grande movimento presencial, mas os serviços on-line foram bem mais requisitados. Tivemos 3.596 solicitações pela internet de serviços em geral aqui no nosso cartório”, disse.

O Brasil teve um incremento de um milhão e meio de eleitores no mês de abril quando comparado a março de 2022. Segundo as estatísticas eleitorais por sexo e faixa etária divulgadas pelo TSE, em 30 de abril, o Brasil contava com 149.836.269 eleitores, sendo 79.224.596 mulheres e outros 78.444.900 homens. O aumento total foi de 1.508.873 pessoas em comparação ao mês de março deste ano, quando o eleitorado era de 148.327.396.

Nani Camargo
Especial para o JP

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dezessete + 11 =