Vanderlei Cordeiro de Lima abre eventos do Sesc Verão

Medalhista olímpico, Vanderlei participou de bate-papo, ontem, no Sesc Piracicaba (Foto: Claudinho Coradini/JP)

A programação do Sesc Verão 2020 começou ontem, na unidade de Piracicaba. O tema deste ano é o atletismo e, uma lenda da modalidade no Brasil foi o responsável por abrir o evento com palestra e bate-papo: Vanderlei Cordeiro de Lima, medalhista de bronze nas Olimpíadas de Atenas 2004 e único atleta brasileiro e latino-americano a receber a medalha Pierre de Coubertin, honraria que está acima da medalha de ouro.
“É um prazer enorme participar do Sesc Verão, estar em Piracicaba e poder compartilhar um pouco da minha história, da vivência no esporte e compartilhar essa experiência com os amantes da corrida, que vem crescendo no Brasil, já que as pessoas pegaram gosto por esse esporte, além de promover a qualidade de vida por meio do esporte”, disse Vanderlei.
Durante o bate-papo, Vanderlei falou da importância de Piracicaba em sua carreira. “Nem me lembro de tantas vezes corri a
prova Duque de Caxias, uma prova tradicional na cidade e que fez parte da minha trajetória, portanto é muito bom poder voltar
para cá e compartilhar essa história”, comentou.
Em razão de ser um ano olímpico, com os Jogos de Tóquio entre julho e agosto, Vanderlei também falou sobre a sua expectativa com o desempenho do Brasil no atletismo e se mostrou confiante. “Estou ansioso com os jogos e para que o Brasil possa estar bem representado nesta modalidade (atletismo) e acredito que o país possa fazer sua melhor participação em Jogos Olímpicos, já que o Brasil vem alcançando resultados bastante expressivos, principalmente em categorias em que o país nunca foi uma potência”, explicou.
Vanderlei também falou sobre a sua história nos Jogos Olímpicos, na qual liderava a maratona de Atenas em 2004 e estava 150m a frente do segundo colocado na reta final, porém um padre escocês invadiu a pista e atrapalhou o brasileiro, que não revidou a violência, voltou para a prova e garantiu o bronze. “Atenas foi o momento mais importante da minha carreira, já que me preparei a vida inteira. Claro que não poderia imaginar que ocorreria um fato que mudaria o resultado da prova e o rumo dos Jogos Olímpicos. Continuei a correr porque estava focado e disposto a conquistar uma medalha”, lembra o ex-maratonista.

Mauro Adamoli
[email protected]