Varejo despreparado para a longevidade

Foto: Pexels

Para criar um relacionamento duradouro com seu público, o primeiro passo consiste em entender as preferências e o comportamento dos consumidores. As empresas que levam em consideração e priorizam as opiniões e os desejos deles tendem a ser bem-sucedidas. Desse modo, observar e compreender as necessidades e as vontades dos consumidores é um processo fundamental. Só assim é possível visualizar por completo a experiência de compra dos clientes, ação necessária para uma empresa poder construir e otimizar suas estratégias de marketing. Apreender o comportamento do consumidor é algo tão importante quanto saber suas razões de aquisição de um determinado produto em vez de outros. Essa noção permite que a empresa saiba exatamente como conquistar um cliente e o que fazer para fidelizá-lo à marca.

É importante lembrar que comportamento não é algo fixo, imutável, motivo pelo qual é imprescindível observar o seu consumidor de forma contínua. As pessoas mudam de comportamento dependendo da fase que estão vivendo e da geração à qual pertencem. Jovens solteiros têm necessidades diferentes de jovens casados. Adultos com filhos passam por desafios que os idosos já deixaram para trás. A renda também é um fator importante que acompanha os estágios da vida de todos e influencia o comportamento de consumo.

É possível entender o relacionamento de seu público com sua empresa-marca por meio de perguntas simples. Por exemplo: qual a percepção dos clientes em relação à sua empresa-marca? Qual o nível de satisfação que os consumidores têm de um produto-serviço? Eles pensam em repetir a compra? Com que frequência? Num mercado que se desenvolve em ritmo acelerado de competição como o varejo, a empresa que conhece o seu consumidor tem mais chances de fidelizá-lo. Nos últimos anos, no geral, o varejo direcionou seus esforços para saber como lidar com os desafios impostos pelas gerações millennials e Z.

Apontado como uma das megatendências do século pela Organização das Nações Unidas (ONU), o aumento da população com mais de 60 anos traz consigo oportunidades, transformações para o varejo. O grupo denominado de geração prateada, apelido que surgiu como referência aos cabelos grisalhos, é composto de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos e é responsável por quase 20% do consumo no Brasil. Essa geração está vivendo mais tempo, e definitivamente os idosos não são mais os mesmos de antes.

Deixaram para trás a cadeira de balanço de seus pais e avós e estão nas ruas, passeando, trabalhando, fazendo academia, consumindo. Enfim, quebrando estereótipos, aproveitando a vida e abrindo um universo de oportunidades. Se sua empresa pretende conquistar a simpatia e a fidelização desse público, é indispensável que você saiba responder às seguintes perguntas: como as pessoas da geração prateada gostam de ser atendidas? Por quais canais? Com qual tipo de abordagem?

A geração prateada tem desafiado de forma consistente e incisiva as expectativas do varejo, e são poucos os negócios que a entendem completamente.Joseph F. Coughlin, autor do livro The LongevityEconomy, assegura que “A população envelhecida não é somente grande, é enorme. É quase como se um novo continente estivesse emergindo do oceano, com mais de 1 bilhão de consumidores implorando por produtos que satisfaçam suas demandas”.

No Brasil, a quantidade de prateados será superior a 68 milhões de pessoas em 2050. O fato é que os idosos são cada vez mais protagonistas quando o assunto é consumo. Nesse sentido, as empresas precisam aprender a atendê-los e a conquistá-los.Para isso, é necessário conhecer as características e as especificidades desse público.

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

20 − doze =