Vereador pede auditoria no contrato da Águas do Mirante

Foto: Divulgação

Publicado em 19 de janeiro, às 20h

Atualizado em 20 de janeiro, às 14h40

O vereador Paulo Camolesi (PDT) protocolou nesta terça-feira (19) requerimento que pede ao Executivo para que o Semae (Serviço Municipal de Água Esgoto) realize, com urgência, uma auditoria no contrato da Parceria Público Privada com a empresa Águas do Mirante. Camolesi também direcionou ao presidente da autarquia, Maurício André Marques de Oliveira, um ofício com o apelo para que a solicitação seja atendida.


O requerimento entrará em votação no plenário apenas com o início das reuniões ordinárias. Segundo Paulo Camolesi, é de sua “total ciência a insatisfação pública com os serviços ligados ao abastecimento de água e esgoto, são as inúmeras reclamações diárias e há um grande movimento popular em prol de mudanças neste setor”.

LEIA MAIS:


De acordo com o vereador, desde 2012, o Semae repassou à empresa Águas do Mirante a responsabilidade pelo gerenciamento, coleta e tratamento de esgoto, além de uma série de investimentos em infraestrutura e prevenção de perdas subterrâneas.

Camolesi salienta que, no entanto, além do descontentamento da população no contrato de parceria com a Águas do Mirante verifica-se atos de improbidades e “outros lesivos ao município”, conforme o apontado pela Comissão de Estudos da Câmara de Vereadores em 2020.


O vereador relata que a Comissão apurou que existem negligências com a fiscalização, irregularidades no contrato da PPP, ausência da fonte utilizada para elaboração do orçamento básico para fixação do preço, entre outras improbidades que culminaram no pedido de extinção da parceria pelos relatores, o qual não foi acatado pelo Executivo.


“Munido dessas informações e documentos e ciente da importância de prestar um bom serviço à população, é indiscutível a necessidade de uma auditoria no contrato do Semae com a empresa Águas do Mirante”, afirmou Paulo Camolesi.


A reportagem procurou a prefeitura nesta terça-feira (19). O CCS (Centro de Comunicação Social) informou que vai enviar uma resposta até esta quarta-feira (20).

Em nota, a prefeitura informou que “não vai comentar o caso uma vez que a análise dos contratos encontra-se em fase de diagnóstico”.

Da Redação

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

13 + 16 =