Última vistoria realizada pela Prefeitura de Piracicaba em pontes e viadutos foi há 17 anos. (foto: Claudinho Coradini / JP)

A última vistoria especializada feita nas pontes e viadutos de Piracicaba aconteceu em 2002, segundo informações da prefeitura ao requerimento apresentado pela vereadora Adriana Sgrigneiro Nunes, a Coronel Adriana (Cidadania). Diante da informação, a parlamentar decidiu protocolar um ofício no Ministério Púbico solicitando que o órgão investigue a situação junto ao município.

Na última quarta-feira (12), Coronel Adriana gravou um vídeo em suas redes socais informando sobre o protocolo no MP e destacando sua preocupação com a falta de vistorias nas pontes e viadutos da cidade. No ofício, a vereadora solicita ao órgão que adote providências junto à prefeitura obrigando a realização de vistoria técnica nas pontes e viadutos.

A parlamentar contou que decidiu questionar a prefeitura, em fevereiro depois dos eventos ocorridos em São Paulo e no Rio de Janeiro envolvendo essas construções.

“O que me foi respondido é que a última vistoria especializada correu em 2002, há quase 20 anos e em razão disso eu fui inspecionar algumas pontes e viadutos e verifiquei que em alguns deles há problemas na estrutura, há ferragem aparente e problemas de manutenção”, afirmou.

Coronel Adriana acrescentou que, logo em seguida à vistoria feita por ela aconteceu a polêmica em toro das rachaduras na Ponte do Caixão, onde motoristas alegaram ter pneus estourados em uma fenda. “por não haver respostas da prefeitura e diante do risco de danos e lesões às pessoas, decidi entregar este ofício ao MP para que determine a manutenção”, afirmou acrescentando que pesquisou e constatou que as vistorias devem ser feitas a cada cinco anos.

Por meio da assessoria de imprensa, a prefeitura informou ontem que inspeções visuais ocorrem rotineiramente pelos técnicos da Prefeitura, além de intervenções com vistas as recuperações quando julgam necessárias.

Segundo a administração, em geral, estudos e a realização de obras têm alto, o que prejudicam a manutenção preventiva e acabamos por realizar somente a corretiva. Sobre o laudo de 2002, foi realizado por especialistas contratados que não constam no corpo técnico do município.

 

Beto Silva
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 × 2 =