Via Ágil: Assembleia vai deliberar sobre proposta da empresa

Valor da dívida será usado para pagar rescisão dos funcionários (Foto: Claudinho Coradini/JP)

O Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Urbano de Piracicaba realiza amanhã (7) assembleia com os ex-funcionários da Via Ágil para deliberação sobre proposta da empresa para quitação da rescisão. Os trabalhadores foram dispensados em maio, quando a empresa – que era responsável pelo transporte coletivo na cidade – quebrou o contrato com a prefeitura. A reunião será às 10h, no Clube do Sindicato dos Metalúrgicos, na avenida Dois Córregos, 3.110, no bairro Dois Córregos. De acordo com o presidente da entidade, João José Soares, serão tomadas as medidas de prevenção contra o novo coronavírus, como o distanciamento mínimo de 1,5 metro por pessoa.

Os ex-funcionários esperam há mais de 60 dias o pagamento das verbas rescisórias. Quando houve a rescisão do contrato, a prefeitura se comprometeu em pagar os funcionários. Para isso, a administração pública elabora um Projeto de Lei (PL) que vai solicitar à Câmara dos Vereadores o reconhecimento da dívida que a prefeitura tem com a Via Ágil em decorrência do reequilíbrio do preço da tarifa.

De acordo com o sindicato, a entidade conseguiu na Justiça liminar bloqueando o valor da dívida para que o dinheiro seja usado para o pagamento das verbas rescisórias. Soares explica que é necessária a deliberação dos funcionários sobre o acordo com a Via Ágil para que esse faça parte do P. O presidente do sindicato preferiu não adiantar exatamente os tópicos do acordo, mas entre eles está a data para início do pagamento. “Os advogados que vão colocar essa situação. O sindicato vai fazer assembleia, aprova ou não aprova”, comenta Soares.

O objetivo do sindicato é não judicializar o pagamento da rescisão dos funcionários. Segundo Soares, os acordos entre funcionários e Via Ágil e entre a empresa e a prefeitura possibilitam que o pagamento tenha início ainda este ano.

De acordo com a prefeitura, o valor da dívida da administração pública com a Via Ágil foi apurado pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).

“Uma vez aprovado o projeto pela Câmara, o prefeito já se comprometeu a iniciar o pagamento ainda este ano à Via Ágil e, consequentemente, aos seus trabalhadores”, disse Soares.

Tanto o sindicato quanto representantes dos ex-funcionários se reuniram, na penúltima semana de julho, com o presidente da Câmara, Gilmar Rotta (CID). O vereador garantiu que vai dar celeridade ao PL assim que o documento seja protocolado na Casa.

Andressa Mota