Violência sexual contra jovens e crianças cresceu 21,7% em 2020

O número de violência e exploração sexual de criança e adolescente em Piracicaba cresceu 21,7% no ano em que a pandemia da Covid-19 chegou ao Brasil. Em 2019, a Smads (Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social) contabilizou 115 casos contra 140 em 2020. As estatísticas foram divulgadas ontem (17), um dia antes do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Contra Criança e Adolescente. A negligência e a violência contra jovens não avançaram no mesmo sentido para as denúncias feitas aos conselhos tutelares da cidade veja ao fim da matéria como denunciar anonimamente.

Ano passado, 2.870 denúncias foram recebidas pelos conselhos. Este número engloba diferentes tipos de violação de direito, que incluem, além da violência sexual, abandono, negligência, violência física, psicológica, evasão escolar, trabalho infantil, entre outros. Em 2019, os registros somaram 3.167 denúncias

“Com a pandemia, as situações de identificação da violência foram diminuídas, ou seja, escola, os ambientes de convívio social e comunitário. Por isso, é muito importante que a sociedade denuncie sempre que houver suspeita. Todas as formas de violência afetam muito o crescimento saudável”, explica a secretária da Smads, Euclidia Fioravante.

Os casos de violência contra criança e adolescente são recebidos no município pelos serviços da secretaria de assistência social. Os atendimentos são feitos em duas unidades, o Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) e Epsemc (Equipe de Proteção Social Especial da Média Complexidade), do Crami (Centro Regional de Registro e Atenção aos Maus Tratos na Infância). Os serviços da Proteção Social Básica realizam trabalho preventivo, informa a assessoria de imprensa da Pasta.

Desde 2000, a data de 18 de maio foi consolidada como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Contra Criança e Adolescente, com aprovação da Lei Federal 9.970/2000. Nesta data, em 1973, uma menina capixaba de oito anos, Araceli Crespo, foi sequestrada, espancada, estuprada, drogada e assassinada numa orgia. Os agressores nunca foram punidos e o movimento em defesa dos direitos das crianças e dos adolescentes ganhou forte mobilização desde então.

Para marcar a data , a Smads promove alguns eventos on-line. O próximo acontece nesta sexta-feira (21), às 15h, com Caroline Arcari, autora do livro ´Pipo e Fifi´ a transmissão pode ser assistida no canal do YouTube do Sesc Piracicaba. Em outra frente, a secretaria prevê ações de conscientização com o público atendido em todos os seus serviços e entidades parceiras. Haverá distribuição de material da campanha contra violência a jovens em todas as unidades da assistência social, da atenção básica de saúde e ônibus da cidade.

DENUNCIE!
Não é preciso se identificar, ligue para os canais Disque 100 e Disque 181. Também é possível procurar pelos conselhos tutelares, delegacias e Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social).


Cristiane Bonin

[email protected]

Leia mais:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

1 × 2 =