Volta às aulas tem alunos de máscara e classes quase vazias

Momento de nova adaptação nas escolas (Foto: Amanda Vieira/JP)

Poucos colégios particulares de Piracicaba aproveitaram o decreto publicado pelo prefeito Barjas Negri, no último sábado (5), e retornaram atividades presenciais, com salas reduzidas, quase vazias, e com garantias aos pais de que cumprem todos os padrões de sanitarização para receber os alunos.

A Escola de Educação Infantil Aquarela é uma das que optaram pelo retorno gradativo dos alunos nesta terça-feira (8). “Bem tranquilo”, é como a diretora Karina Barrichello classifica a volta de poucas crianças à escola. Ao longo do dia, receberam cerca 15 alunos, em classes adaptadas e com todo sistema de segurança higiênica, ela garante.

O acolhimento foi muito mais lúdico do que pedagógico, revela Karina. “É um momento para as crianças sentirem novamente o ambiente, ressocializar com amigos da classe. Um recomeço”.

O COC Piracicaba também retomou as atividades presenciais, não em forma de aulas, mas sim como reforço para alguns alunos. Lygia Penteado Peres Lima, professora do 1º ao 5º anos do Fundamental 1, revela que, primeiro, chamaram os alunos que tiveram dificuldades durante as aulas online e com horários diferenciados para poder atender a todos. “Estamos com 6 alunos por horário pré-defindo”, conta.

“Foi bem tranquila a volta, os alunos que compareceram cumpriram as regras sem hesitar. Estavam com saudades do contato com a escola”, enfatiza professora. O colégio vai manter o sistema híbrido até o fim do ano letivo.

Neste primeiro momento de retorno, o CLQ optou por um acolhimento emocional, reconhecimento do espaço para o retorno e sistema híbrido presencial e online.

O retorno de atividades presenciais, para a professora Cinthia Stenico Toledo de Souza, significa readaptar a já adaptada rotina, durante a pandemia. “As aulas online já fazem parte da minha rotina. No começo tudo parecia difícil, mas nos adaptamos”, disse. A experiência do reencontro com a sala de aula e alunos, , foi especial. “Foi muito gostoso rever alguns dos meus alunos e poder ouvi-los, dar atenção. Conversamos bastante e eles ansiosos para brincar e conhecer o espaço adaptado”.

O protocolo, garante, foi seguido à risca. “Eles estavam de máscara, alguns até trouxeram máscara reserva, muito conscientes. Ficaram o tempo todo de máscara, sim. Em momento algum precisei lembrá-los do uso”, respondeu.

Piracicaba é um dos 128 municípios de São Paulo que teve escolas retomando as atividades presenciais.

Erick Tedesco