XV de Piracicaba enfrenta o São Bernardo no ABC Paulista

Nhô Quim precisa dos três pontos para não sofrer pressão na última rodada (Foto: Claudinho Coradini/JP)

O XV de Piracicaba entra em campo nesta quarta-feira (26), às 15h, para enfrentar o São Bernardo FC, no Estádio Primeiro de Maio, em São Bernardo do Campo. O Nhô Quim, que empatou com o Votuporanguense no retorno da competição, está em oitavo lugar, com 20 pontos, enquanto o Bernô, que perdeu o clássico para o São Caetano, é o vice-líder, com 22 pontos.

Uma das principais jogadas que o XV pretende explorar em São Bernardo do Campo é a bola parada, já que o meio-campo Daniel Costa é um exímio cobrador de faltas e escanteios, além da equipe do ABC ter demonstrado que tem dificuldades nesse tipo de jogada na última partida. “Com um jogador bom como o Daniel, precisamos ter ações para que ele apareça e brilhe no jogo. Na última partida tivemos poucos lances de bola parada, como escanteios e faltas laterais e temos que usar disso também. Temos que buscar os duelos um contra um para fornecemos para ele esse tipo de lance e com a batida pesada que o Daniel possui é uma vantagem nossa”, disse o técnico do XV, Evaristo Piza.

A última partida entre São Bernardo FC e XV em São Bernardo do Campo foi em março de 2018 e foi um jogo histórico para o Nhô Quim. O confronto foi valido pela última rodada da primeira fase e o Nhô Quim era o quarto colocado, dependendo apenas de si para avançar (naquele ano apenas os quatro primeiros se classificavam), enquanto o Bernô era o líder e já estava garantido na semifinal. O XV, que era dirigido por Evaristo Piza na ocasião e sofreu para se classificar, já que, o goleiro Samuel Pires se machucou ainda no aquecimento, com Luiz Fernando como titular, deixando o XV sem goleiro no banco. Piza teve que fazer as três substituições que tinha direito em razão de contusões (André Cunha, Vinicius Simone Jonathan), sendo duas ainda no primeiro tempo. No fim, o 0 a 0 combinado com a derrota do Sertãozinho classificou o Nhô Quim para a semifinal.

Evaristo lembrou daquela partida e como usá-la para animar a equipe, mesmo sabendo que é uma outra situação com jogadores diferentes. “São situações que podemos relembrar, uma partida histórica. O Samuel sentiu antes da partida e o Luiz Fernando entrou. O André Cunha estourou o tendão, mas conseguimos suportar a pressão e conseguimos a classificação boas lembranças, mas são partidas diferentes. Por jogar em casa e conhecer o ambiente isso da um certo favoritismo, mas se compararmos elenco por experiência e características são times iguais”, relembrou o treinador.

Mauro Adamoli