XV finaliza preparação para encarar o Oeste, fora de casa

Cleiton Savedra, atleta do Esporte Clube XV de Novembro - Crédito foto: Michel Lambstein

O XV de Piracicaba “virou a chave”. Depois de vencer o Monte Azul por 1 a 0, na noite do último sábado, dia 24, no Barão da Serra Negra, a equipe treinou na tarde deste domingo, no próprio estádio municipal, em Piracicaba, já pensando no duelo diante do atual líder do Paulistão A2, o Oeste, que soma 21 pontos, quatro a mais que o Nhô Quim.

O objetivo para o embate da próxima segunda-feira, às 22h, em Barueri, é vencer o Oeste e transformar essa diferença em apenas um ponto. O Água Santa é o segundo colocado com 19 pontos obtidos.

“A nossa preparação segue, com treinamentos, conversas, se atentando também ao lado psicológico, técnico, tático. É muita coisa que envolve os preparativos para uma partida, como também, inclusive, as peculiaridades do momento, nosso e do adversário”, disse o técnico quinzista Moisés Egert, que analisou o último triunfo do time no estadual, que manteve o Alvinegro Piracicabano invicto no campeonato, ocupando a terceira colocação na classificação.

“Não há jogo fácil, em se tratando de Série A2. Poderíamos ter aproveitado melhor as oportunidades que criamos e, desta forma, tornado a partida mais tranquila para nós, porém, do outro lado também existe trabalho e um adversário que veio aqui e nos impôs dificuldades. Esse jogo será importante para a nossa sequência, pois os ajustes vão sendo feitos, independente do resultado ser favorável. Estamos em um processo de amadurecimento”, comentou.

Egert falou ainda sobre os dez anos da conquista do acesso à Série A1 pelo XV, completados justamente no sábado. “Coincidiu em ser o Monte Azul novamente. Esse clube também está na minha vida. Já joguei e trabalhei lá, tenho amigos, como o Luciano Dias, treinador, o médico que aqui esteve. São pessoas do bem, trabalhadoras, e desejo sucesso para eles”, elogiou. Além do técnico, o auxiliar Wagner Moraes, o ex-volante e atual supervisor de futebol, Carlão, e o médico José Roberto Alleoni, que fizeram parte da campanha vitoriosa, ainda representam o Nhô Quim.

“Foi um dia bastante especial. Eu conversei à tarde com os atletas e mostrei vídeos dessa conquista. Eu mesmo acabei revendo e me remeteu a grandes momentos, lembrando de grandes amigos. Para ser sincero, eu até me emocionei, porque era um menino, 30 e poucos anos na época, foi me dada a chance e, como ex-jogador do clube, morador da cidade, era um sonho se tornando realidade. Todos foram fundamentais naquela nossa caminhada”, externou.

Da Redação

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

6 + dezenove =