Serviço foi criticado recentemente pela Estapar, que pede o aumento das multas (Foto: Claudinho Coradini/JP)
Serviço foi criticado recentemente pela Estapar, que pede o aumento das multas (Foto: Claudinho Coradini/JP)

Durante os dois primeiros meses de 2019 a Prefeitura de Piracicaba arrecadou o cerca de R$ 40 mil com multas de trânsito referentes ao estacionamento rotativo, a chamada Zona Azul. As informações constam do Portal da Transparência da prefeitura, que não informa a quantidade de infrações isoladamente. De acordo com o portal, em 60 dias foram aplicadas 14.706 multas de variadas modalidades representando a soma de R$ 3,68 milhões.

POLÊMICA

Recentemente, as multas da Zona Azul têm chamado a atenção do Poder Público e da CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas) de Piracicaba depois de um diretor da Estapar – empresa responsável pela administração dos serviços de Zona Azul Digital na cidade – sugerir que a prefeitura aumentasse a aplicação de multas aos motoristas que estacionam irregularmente na área de cobertura do estacionamento rotativo. A observação rendeu uma carta de repúdio da CDL e o presidente Reinaldo Pousas usou a tribuna da Câmara de Vereadores para expor sua opinião.

Diante da polêmica, a Câmara vai realizar audiência pública para discutir as atividades da Estapar, no dia 10 de abril, às 19h30. O evento foi solicitado pelo vereador Paulo Campos (PSD) por meio de requerimento. No documento, o parlamentar convoca os secretários José Antonio de Godoy (Governo) e Jorge Akira (Trânsito e Transportes), o procurador-geral do município, Milton Sérgio Bissoli, o gestor da Estapar, Adelcio Antonini, o prefeito Barjas Negri (PSDB), entre outras autoridades da cidade.
Paulo Campos mencionou que, recentemente, a Estapar informou que a arrecadação caiu 16% entre 2014 e 2018, e que, em quatro anos, os motoristas pagaram R$ 784,9 mil a menos para parar nas vagas da região central da cidade.

A Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes) e a Estapar divergem sobre o motivo da redução, segundo o texto do requerimento. A empresa solicita que o Executivo aplique multas aos munícipes, segundo Paulo Campos. “Já fomos interrogados por moradores sobre diversas irregularidades nas cobranças. Em 2015, o Ministério Público do Estado de São Paulo, em Piracicaba, recebeu denúncia para apurar suposta aplicação de multas de forma irregular na Zona Azul”, afirmou.

Beto Silva

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

6 + doze =