Zoo e Gaema assinam TAC para melhorias na estrutura do local

Foto: Alessandro Maschio/JP

Acordo prevê adoção de providências para adequar condições estruturais no Zoológico Municipal

A Prefeitura de Piracicaba firmou um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com o Núcleo PCJ-Piracicaba do Gaema (Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente) para melhorias no zoológico municipal. De acordo com o MPSP – Ministério Público do Estado de São Paulo -, a adoção de providências para a melhoria das condições estruturais no zoo é um dos objetivos do termo do município com órgão.

O acordo foi firmado após ficar acertada a transferência de Juco, um exemplar de urso-de-óculos, que vivia no espaço e que foi transferido para a Associação Santuário Ecológico Rancho dos Gnomos, organização não-governamental que cuida de animais em Joanópolis (MG), com melhores condições de abrigar o mamífero.

Segundo o MP-SP, a intenção do TAC é garantir maior bem-estar aos animais que permanecerão no zoológico, seguindo recomendações técnicas.

Entre as melhorias previstas estão a reforma das áreas de cambiamento, com retirada das partes com corrosão e vedação da toca dos felinos, adequação do recinto dos tigres, jabutis, da iguana e do serpentário, de forma que cumpram a finalidade de educação ambiental; e aumento na segurança do chamado “Recinto Pantanal”, de forma a eliminar o risco de queda e lesões no espelho d’água localizado no centro do espaço.

A Sedema (Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente), pasta responsável pelo zoo, informou ontem (13) que as adequações citadas já foram concluídas. A promotora Alexandra Faccioli Martins afirmou que algumas obrigações e medidas estão sendo cumpridas, mas dependem de parecer técnico do órgão ambiental para serem consideradas efetivamente concluídas. “A transferência do Juco ainda está pendente, aguardando a conclusão do novo recinto, no Rancho dos Gnomos”, apontou a representante do Gaema.

Segundo ela, além disso, o município se comprometeu a realizar, até 31 de dezembro, obras mais abrangentes, no âmbito de um projeto de revitalização do zoo, voltadas à reforma e adequação da estrutura dos demais recintos, de acordo com as recomendações técnicas pertinentes, de modo a assegurar o bem-estar das espécies alojadas, bem como a segurança dos animais, funcionários e visitantes do local”, afirmou. “Portanto, ainda há muito a ser feito”, acrescentou.

Beto Silva
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

catorze − sete =